URTICÁRIA – AGUDA E CRÔNICA

O QUE É A URTICARIA?

A urticária consiste em inchaços avermelhados, levemente salientes, que coçam. A coceira pode ser grave ou moderada. A urticária possui bordas definidas e pode ter uma parte central pálida.

Tipicamente, os surtos de urticária aparecem e desaparecem. A urticária pode permanecer durante várias horas e logo desaparecer, surgindo outra em qualquer outro local depois. Depois de a urticária desaparecer, a pele geralmente fica com aspecto completamente normal.

O inchaço de uma urticaria é causado pela liberação de substâncias químicas (como a histamina) dos mastócitos na pele, que causam o vazamento temporário de líquido para fora dos pequenos vasos sanguíneos.

A urticária geralmente dura menos que 6 semanas, sendo classificada como aguda. Se a urticária durar mais que 6 semanas, será classificada como crônica.


URTICÁRIA AGUDA

A urticária aguda é causada com mais frequência por

  • Reações alérgicas
  • Reações não alérgicas

As reações alérgicas são geralmente causadas por alimentos, particularmente ovos, peixes, frutos do mar, nozes e frutas, ou por picadas de insetos. A ingestão de alguns alimentos, mesmo em quantidades mínimas, pode provocar urticária repentinamente. Mas com outros alimentos (como morangos) essas reações ocorrem apenas depois de ingerir uma grande quantidade. Muitos medicamentos, particularmente antibióticos, podem causar urticária.

As reações alérgicas imediatas também podem ocorrer quando uma substância entra em contato direto com a pele (como o látex), após uma picada de inseto ou como uma reação a uma substância inalada e enviada para os pulmões ou ao passar pelo nariz.

As causas não alérgicas da urticária incluem infecções, alguns medicamentos, alguns estímulos físicos (como pressão ou frio), alguns estímulos emocionais (como estresse) e alguns aditivos alimentícios.

A urticária aguda geralmente tem uma causa específica, mas a causa não pode ser identificada em cerca de metade dos casos.


URTICÁRIA CRÔNICA

Elas são caracterizadas pela presença persistente das urticas, manchas saltadas e avermelhadas na pele, de diversos tamanhos, que surgem e desaparecem. Também podem aparecer angioedemas, inchaço em partes do corpo, como genitais, lábios e orelhas.

Diferente do que se pensava, não se trata de uma condição rara. Estimativas dão conta que entre 0,5% e 1% das pessoas são afetadas, algo entre 1 milhão e 2 milhões de brasileiros.

A urticária crônica é causada com mais frequência por

  • Quadros clínicos não identificados (idiopáticos)
  • Doenças autoimunes

Às vezes, a causa passa facilmente despercebida, por exemplo, quando as pessoas consomem um alimento repetidamente e não sabem que tal alimento é a causa, como um conservante ou corante nos alimentos ou penicilina no leite. Muitas vezes, mesmo com os melhores esforços, a causa permanece não identificada.

A urticária crônica pode durar meses ou anos e depois sumir sem nenhuma razão aparente.

A qualidade de vida é severamente prejudicada pela doença, provocando deterioração do sono, da vida social, da produtividade e das relações amorosas, o que é agravado pelo tempo na procura por um diagnóstico.


SINAIS DE ALERTA

Certos sintomas e características devem receber uma atenção especial:

  • Inchaço do rosto, dos lábios, da garganta, da língua ou das vias respiratórias (angioedema)
  • Dificuldade para respirar, incluindo respiração ofegante
  • Urticária de cor profunda, que se torna uma ferida aberta, ou que persiste por mais de 48 horas
  • Febre, gânglios linfáticos inchados, icterícia, perda de peso e outros sintomas de um distúrbio que pode atingir o corpo inteiro (sistêmico).

QUANDO CONSULTAR UM MÉDICO

As pessoas devem chamar uma ambulância se

  • Tiverem dificuldade para respirar ou se estiverem ofegantes.
  • Sua garganta parecer que está fechando.

As pessoas devem ir a um pronto-socorro ou médico assim que possível se

  • Os sintomas forem graves.
  • Elas se sentirem cada vez mais fracas ou com vertigem, ou tiverem febre alta ou tremores intensos.
  • Estiverem vomitando ou tiverem dor abdominal ou diarreia.

As pessoas devem ir ao médico se

  • Uma picada de abelha causar urticária (para obter aconselhamento sobre tratamento se ocorrer uma outra picada de abelha).
  • Apresentarem outros sintomas, como febre, dores nas articulações, perda de peso, gânglios linfáticos inchados ou suores noturnos.
  • A urticária aparecer novamente sem exposição à causa.
  • Os sintomas durarem mais de 2 dias.

Se as crianças tiverem urticária que surge de repente, desaparece de repente, e que não volta, geralmente não é necessário fazer exame médico. A causa é geralmente uma infecção viral.


TRATAMENTO DA URTICÁRIA

Se a causa for evidente ou se o médico identificar a causa, as pessoas devem evitá-la, se possível. Se a causa não for evidente, a pessoa deve deixar de tomar todos os medicamentos que não sejam indispensáveis até que desapareça a urticária.

Banhos apenas com água fria, não coçar e evitar roupas agarradas pode ajudar a aliviar os sintomas.

Anti-histamínicos tomados por via oral são usados para urticária. Esses medicamentos aliviam parcialmente a coceira e reduzem o inchaço. Para serem eficazes, esses medicamentos devem ser administrados regularmente, e não apenas quando necessário. Vários anti-histamínicos, incluindo cetirizina, difenidramina e loratadina, estão disponíveis sem receita. A difenidramina é um medicamento mais antigo, com maior probabilidade de causar sonolência que os outros dois medicamentos. Outros anti-histamínicos incluem desloratadina, fexofenadina, hidroxizina e levocetirizina. Cremes e loções anti-histamínicos não são usados pois podem sensibilizar a pele e piorar a coceira.

São utilizados corticosteroides tomados por via oral (como prednisona) se os sintomas forem graves e não houver resposta a outros tratamentos. Esses medicamentos são administrados pelo período mais curto possível. Quando são administrados por via oral durante mais de 3 ou 4 semanas, os corticosteroides causam muitos efeitos colaterais, às vezes sérios. Cremes com corticosteroides não ajudam.

Pessoas que têm reações graves ou angioedema recebem epinefrina e, em seguida, são hospitalizadas. As pessoas com essas reações graves devem ter sempre consigo uma caneta de epinefrina (autoinjetor de epinefrina) para autoaplicação e, se alguma reação ocorrer, devem usá-la imediatamente.

Em aproximadamente metade das pessoas com urticária crônica, esta desaparece sem tratamento ao fim de 2 anos. Em alguns adultos, o antidepressivo doxepina, que também é um anti-histamínico potente, ajuda a aliviar a urticária crônica. Omalizumabe, um anticorpo monoclonal, pode ser usado por pessoas cuja urticária crônica tenha continuado a se manifestar apesar de outros tratamentos.


REFERÊNCIA

MSD Manuals – Versão Saúde para a Família [Urticária]. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-pt/casa/dist%C3%BArbios-da-pele/coceira-e-dermatite/urtic%C3%A1ria

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *