TESTES PARA A COVID-19: ENTENDA

Há dois principais grupos de testes para detecção do novo coronavírus (Sars-CoV-2) em serviços de saúde, sendo um sorológico e o outro de detecção de anticorpos.

Os testes podem fazer uso de sangue, soro ou plasma no caso dos sorológicos e os outros que precisam de amostras de secreções coletadas das vias respiratórias, como nasofaringe (nariz) e orofaringe (garganta), os de detecção de anticorpos.

Estes testes são desenvolvidos conforme os próprios critérios do laboratório levando em conta as normas preconizadas pela Organização Mundial da Saúde – OMS e aprovadas pela Agência de Vigilância Sanitária do Brasil – Anvisa, sendo que todo teste antes de ser comercializado precisa passar pelos rigorosos testes de inspeção e qualidade, da Anvisa.


MAS QUAL A DIFERENÇA ENTRE ELES?

– Nos testes sorológicos – que fazem o uso de amostras de sangue, soro ou plasma e de uma metodologia chamada imunocromatografia (geração de cor a partir de uma reação entre o antígeno e o anticorpo) para detectar anticorpos produzidos pelo próprio organismo do paciente em resposta à infecção pelo novo coronavírus, chamados de IgM e IgG. Esses indicadores revelam se a pessoa teve ou não contato com o vírus.

Tendo em vista que o organismo demanda um tempo para a produção desses anticorpos (janela imunológica) a partir do contágio, a imunocromatografia é -indicada para exames a partir de 7- 10 dias após o início dos sintomas.

Nos testes de detecção de anticorpos: Estes fazem o uso de outras metodologias, como ELISA – que se baseia numa reação enzimática;  imunoensaio quimioluminescente (CLIA) – que torna a reação antígeno-anticorpo visível por uma reação química; e imunofluorescência – no qual a leitura do resultado é feita a partir da fluorescência formada na reação do antígeno com o anticorpo.

Entre os testes aprovados também há os que usam o método RT-PCR (sigla em inglês para transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase), recomendado para o diagnóstico da doença. Esse tipo de teste se baseia na detecção de fragmentos do material genético do vírus e revela se a pessoa está doente no momento da realização do exame, porém não detecta contágios passados.

 


E QUAL DESSES TESTES É CHAMADO DE TESTE RÁPIDO?

Esse termo vem sendo usado popularmente para os testes imunocromatográficos (testes do tipo sorológico). No caso dos testes rápidos para o coronavírus, são dispositivos de uso profissional, manuais, de fácil execução, que não necessitam de outros equipamentos de apoio (como os que são usados em laboratórios) e que conseguem dar resultados entre 10 e 30 minutos.

É sempre importante ressaltar que os testes rápidos são de uso profissional e que os seus resultados devem ser interpretados por um profissional de saúde, considerando informações clínicas, sinais e sintomas do paciente, além de outros exames. Somente com esse conjunto de dados é possível fazer a avaliação e o diagnóstico ou descarte da doença. Ou seja, o teste rápido fornece parte das informações que vão determinar o resultado.

 


QUAL DESSES TESTES É O MAIS CONFIÁVEL?

Não existe um teste para coronavírus mais confiável ou menos confiável, o problema está no entendimento da aplicação do teste e na sua interpretação.

Isso porque os testes sorológicos indicam que você já teve contato com o SARS-CoV-2, o novo coronavírus que causa a doença Covid-19. Por isso você precisa ter se contaminado e desenvolvido antígenos para que o teste seja capaz de apresentar um resultado positivo.

Por isso testes sorológicos, tidos como testes rápidos precisam de 7-10 dias da data que a pessoa supostamente se contaminou ou teve contato com alguém doente para ser eficaz.

Quanto aos testes de detecção de antígeno, você está a procura do vírus no seu corpo, o teste não procura a doença, sintomas ou anticorpos, mas sim o próprio vírus, por isso ele dependem de maquinário mais avançado, maiores recursos e são mais demorados para se realizar. O seu resultado deve ser interpretado como: ele tem o vírus no corpo e é positivo ou ele não tem o vírus no corpo e é negativo.

O teste do tipo RT-PCR é tipo como teste confirmatório para casos em que a pessoa tem sintomas e não pode esperar muitos dias para a detecção via teste sorológico ou para casos de dúvidas em relação aos testes tidos como rápido.

 


Referencia:

Agência de Vigilância Sanitária – ANVISA

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *