MITOS SOBRE VACINAS

Vacinas são recursos essenciais para a saúde individual e pública. O princípio da vacinação consiste em, através do uso especificamente controlado de microrganismos causadores de doenças, ou suas toxinas, estimular o sistema imunológico de modo que este seja capaz de montar uma defesa contra tal antígeno. 

Dessa forma, quando o indivíduo entrar em contato com este antígeno ele já possua mecanismos efetores eficientes para protege-lo e garantir sua segurança e saúde, prevenindo assim diversas doenças. Isso acontece pela geração de memória imunológica, ou seja, nosso sistema imune é capaz de armazenar uma memória para cada antígeno que entramos em contato ao logo da vida e assim, é capaz de se defender e combater tal antígeno.

A vacinação é o modo conhecidamente mais eficaz de se prevenir doenças causadas por agentes infecciosos. Porém como qualquer tratamento ou prevenção de doença, as vacinas podem variar de eficiência levando em conta certos fatores como: Continue lendo

A VACINA DA GRIPE 2018 PODE CAUSAR REAÇÕES?

A resposta para essa pergunta é SIM, porém não se preocupe com isso, pois nem todos terão reações adversas à vacina e o mais importante, as reações não costumam ser graves.

É importante antes de tudo, que as pessoas entendam que todas as substâncias usadas como remédio (comprimidos, cápsulas, vacinas, chás, géis, colírios, xaropes, etc) possuem ou podem causar alguma forma de reação, seja essa substância sintética, puramente química, de origem animal, vegetal ou mineral.

A gripe é uma doença benigna na imensa maioria dos casos, possuindo uma taxa de mortalidade abaixo de 1%. Porém, por ser altamente contagiosa, ela é capaz de infectar milhões de pessoas em relativamente pouco tempo, fazendo com que uma taxa próxima de 1% represente, em números absolutos, uma quantidade grande de vítimas. Por isso, a vacinação contra o vírus Influenza tornou-se uma importante medida de saúde pública nos últimos anos. Continue lendo

MEDIDAS DE PREVENÇÃO A GRIPE

A gripe é provocada pelos vírus influenza (tipo A, B, C e D) e temos uma síndrome semelhante à gripe provocada pelos vírus parainfluenza (tipo 1,2,3 e 4), chamada de resfriado.

Os efeitos da gripe são muito mais severos e duram mais tempo que um simples resfriado. A maioria das pessoas recupera-se totalmente em cerca de uma a duas semanas, mas outras irão desenvolver complicações que podem ser fatais.

Os vírus da gripe e do resfriado são muito contagiosos, apresentam sintomas semelhantes e infectam diversas pessoas. O resfriado comum infecta o nariz e a garganta, já a gripe ataca o sistema respiratório. Nenhuma das doenças tem cura e ambas desaparecem por conta própria, embora alguns casos possam tornar-se bem mais graves. Continue lendo

FIOCRUZ ESCLARECE AS DÚVIDAS SOBRE AS FALSAS NOTÍCAS DA FEBRE AMARELA

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituto de pesquisas na área de saúde, publica diariamente notícias para esclarecimento de notícias falsas referentes à vacinação contra febre amarela.

Alguns dos pontos de maior dúvida da população são sobre a efetividade da vacina, ameaça dos macacos e se ela pode causar outras doenças. Pesquisadores da Fiocruz realizaram uma palestra, disponível online, em que desmentem algumas das principais notícias falsas. Continue lendo

PESQUISA COM VACINA DE CÉLULAS-TRONCO PARA TRATAR O CÂNCER

Uma vacina feita com células-tronco derivadas do próprio paciente pode se tornar mais uma poderosa arma no arsenal dos médicos na luta contra o câncer.

Experimento realizado por cientistas da Universidade de Stanford, nos EUA, com camundongos revelou que a técnica conseguiu barrar ou frear o desenvolvimento de tumores de mama, pulmão e pele nos animais, numa chamada “prova de conceito” que mostrou seu potencial para o tratamento e controle da doença no futuro.

Células-tronco são capazes de se transformarem em células de qualquer tecido do corpo e, para isso, se reproduzem muito rápido. Característica que é compartilhada pelas células cancerosas, cuja reprodução descontrolada forma os tumores sólidos. Assim, umas e outras também apresentam estruturas moleculares semelhantes na sua superfície que podem provocar uma reação do sistema imunológico, conhecidas como antígenos. Continue lendo

HOMEOPATÍA E A FEBRE AMARELA: ESCLARECIMENTOS

A vacina contra a febre amarela é preparada a partir do vírus vivo atenuado e produzida no Brasil. Sua imunidade ocorre dez dias após a aplicação, conferindo imunidade, segundo a OMS, por toda a vida.

O emprego da homeopatia no caso da febre amarela consiste na indicação de medicamentos homeopáticos que auxiliam na profilaxia e tratamento dos sintomas. A vacinação estabelecida conforme as diretrizes do Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde, é a medida mais importante para a prevenção e o controle da doença.

Desde a criação da homeopatia pelo médico alemão Dr. Samuel Hahnemann, essa terapêutica vem atuando em epidemias, e há relatos históricos documentados que demonstram resultados e benefícios bastante significativos.

Continue lendo

ESTUDO BRASILEIRO PODE LEVAR A CRIAÇÃO DE UMA VACINA PARA FEBRE DO NILO

Pesquisa com participação do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP revela que uma das linhagens do arbovírus, causador da febre do Nilo Ocidental, é pouco virulenta e seus efeitos são essencialmente brandos. O resultado abre caminho para o desenvolvimento de uma vacina, uma vez que os vírus poderão ser utilizados para estimular as defesas do organismo. A doença, identificada inicialmente na África, se espalhou pela Europa e Estados Unidos, podendo chegar até o Brasil. O estudo é descrito em artigo da revista PLOS Neglected Tropical Diseases e é resultado de uma colaboração entre virologistas do Instituto Pasteur de Dakar, no Senegal, da USP e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

O trabalho contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e de órgãos de financiamento da União Europeia. Dengue, Zika e chikungunya são nomes que passaram a fazer parte do dia a dia dos brasileiros. A busca por vacinas, tratamentos e métodos de prevenção contra a infeção dos chamados vírus emergentes está entre os grandes desafios da epidemiologia mundial. E novos agentes patológicos continuam a surgir. Continue lendo