PESQUISA COM VACINA DE CÉLULAS-TRONCO PARA TRATAR O CÂNCER

Uma vacina feita com células-tronco derivadas do próprio paciente pode se tornar mais uma poderosa arma no arsenal dos médicos na luta contra o câncer.

Experimento realizado por cientistas da Universidade de Stanford, nos EUA, com camundongos revelou que a técnica conseguiu barrar ou frear o desenvolvimento de tumores de mama, pulmão e pele nos animais, numa chamada “prova de conceito” que mostrou seu potencial para o tratamento e controle da doença no futuro.

Células-tronco são capazes de se transformarem em células de qualquer tecido do corpo e, para isso, se reproduzem muito rápido. Característica que é compartilhada pelas células cancerosas, cuja reprodução descontrolada forma os tumores sólidos. Assim, umas e outras também apresentam estruturas moleculares semelhantes na sua superfície que podem provocar uma reação do sistema imunológico, conhecidas como antígenos. Continue lendo

HOMEOPATÍA E A FEBRE AMARELA: ESCLARECIMENTOS

A vacina contra a febre amarela é preparada a partir do vírus vivo atenuado e produzida no Brasil. Sua imunidade ocorre dez dias após a aplicação, conferindo imunidade, segundo a OMS, por toda a vida.

O emprego da homeopatia no caso da febre amarela consiste na indicação de medicamentos homeopáticos que auxiliam na profilaxia e tratamento dos sintomas. A vacinação estabelecida conforme as diretrizes do Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde, é a medida mais importante para a prevenção e o controle da doença.

Desde a criação da homeopatia pelo médico alemão Dr. Samuel Hahnemann, essa terapêutica vem atuando em epidemias, e há relatos históricos documentados que demonstram resultados e benefícios bastante significativos.

Continue lendo

ESTUDO BRASILEIRO PODE LEVAR A CRIAÇÃO DE UMA VACINA PARA FEBRE DO NILO

Pesquisa com participação do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP revela que uma das linhagens do arbovírus, causador da febre do Nilo Ocidental, é pouco virulenta e seus efeitos são essencialmente brandos. O resultado abre caminho para o desenvolvimento de uma vacina, uma vez que os vírus poderão ser utilizados para estimular as defesas do organismo. A doença, identificada inicialmente na África, se espalhou pela Europa e Estados Unidos, podendo chegar até o Brasil. O estudo é descrito em artigo da revista PLOS Neglected Tropical Diseases e é resultado de uma colaboração entre virologistas do Instituto Pasteur de Dakar, no Senegal, da USP e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

O trabalho contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e de órgãos de financiamento da União Europeia. Dengue, Zika e chikungunya são nomes que passaram a fazer parte do dia a dia dos brasileiros. A busca por vacinas, tratamentos e métodos de prevenção contra a infeção dos chamados vírus emergentes está entre os grandes desafios da epidemiologia mundial. E novos agentes patológicos continuam a surgir. Continue lendo

ANVISA APROVA VACINA MAIS EFICAZ CONTRA O HPV

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou essa semana uma vacina mais eficaz contra o papilomavírus humano (HPV). O imunizante, chamado de Gardasil 9, inclui os subtipos 31, 33, 45, 52 e 58 do HPV, além dos subtipos 6, 11, 16, 18 que existiam na versão anterior do produto.

Isso significa que ela aumenta a proteção contra o vírus ao aumentar de quatro para nove subtipos do vírus HPV, associados ao desenvolvimento câncer de útero, vulva, vagina e ânus. Continue lendo

ANVISA APROVA VACINAÇÃO EM FARMÁCIAS

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou uma nova resolução que permite que qualquer estabelecimento de saúde faça vacinação, incluindo farmácias e drogarias.

A regulamentação da medida deverá ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) nos próximos dias. A decisão foi tomada pela Diretoria Colegiada da instituição.

Com a nova resolução, qualquer farmácia vai poder fazer vacinação. No entanto é preciso levar receita médica para as vacinas que são opcionais. Para as outras, do calendário básico, não é exigida receita. Mas é preciso pagar pelo produto. Continue lendo

FEBRE TIFÓIDE – SAIBA MAIS

febre tifóide é uma doença infecciosa potencialmente grave, causada por uma bactéria, a Salmonella typhi. A doença tem distribuição mundial, sendo mais frequente nos países em desenvolvimento, onde as condições de saneamento básico são inexistentes ou inadequadas.

Causada pela ingestão da bactéria Salmonella enterica sorotipo Typhi(Salmonella typhi) em alimentos ou água contaminados. Trata-se de uma forma de salmonelose restrita aos seres humanos e caracterizada por sintomas proeminentes, sendo endêmica na América Latina, Oceania e na África, mas 80% dos casos ocorrem em Índia e sudeste da Ásia.

Salmonella typhi não é propriamente uma espécie, mas sim a designação comum do sorotipo Salmonella enterica typhi (S.enterica subespécie typhi), que inclui várias outras subespécies que não causam esta doença. (O sorotipo Salmonella enterica paratyphi causa uma doença semelhante, a febre paratifoide). Continue lendo

VÃO COMEÇAR TESTES PARA VACINA QUE PODE PREVENIR DIABETES TIPO-1

O protótipo, que está a sendo desenvolvido há décadas, vai ser testado em humanos já em 2018

A diabetes tipo 1 é uma redução da capacidade de o corpo produzir a insulina usada nas células do corpo para absorver a glicose do sangue. Esta perda da capacidade de produzir insulina resulta de um fenômeno que faz com que o tecido pancreático, chamado células beta, seja destruído pelo próprio sistema imunitário do corpo, muitas vezes nos primeiros anos de vida.

O protótipo de uma vacina pode trazer uma nova esperança, uma vez que poderá prevenir o aparecimento de diabetes tipo 1 em várias crianças. Continue lendo