O QUE É O ACÚFENO?

O acúfeno consiste num som que tem origem no ouvido e não no ambiente. O zumbido é um sintoma e não uma doença específica. O acúfeno é muito comum – 10 a 15% das pessoas padecem de algum grau de zumbido.

O ruído, ouvido pelas pessoas com acúfeno, pode apresentar-se sob a forma de zumbido, tinido, crepitação, apito ou sibilo e geralmente é associado à perda de audição. Algumas pessoas ouvem sons mais complexos, que podem ser diferentes a cada momento. Esses sons são mais evidentes num ambiente tranquilo ou quando a pessoa não está concentrada em outra coisa. Dessa forma, o zumbido tende a incomodar mais quando a pessoa tenta adormecer. Entretanto, a experiência do acúfeno é altamente individual.

Algumas pessoas ficam muito perturbadas com os sintomas, enquanto outras acham-nos perfeitamente suportáveis. Continue lendo

SURDEZ DE FUNDO GENÉTICO: ESTUDO PODE GERAR UMA FORMA DE TRATAMENTO

Quase metade de todos os casos de surdez tem uma raiz genética e as opções de tratamento são bastante limitadas. Para mudar esse cenário, pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, utilizaram uma técnica de edição para eliminar uma mutação do DNA que “sabota” a audição. Os cientistas usaram o CRISP-Cas9, método que consegue cortar genes indesejados. A intervenção rendeu os resultados esperados. A mutação que causa surdez foi eliminada nos animais, o que evitou a perda de audição das cobaias. Publicados na última edição da revista Nature, esses achados podem resultar em uma técnica de tratamento com início ainda na infância.

Os autores do estudo destacam que a alteração de genes foi explorada como técnica para tratar a surdez genética não apenas devido à falta de opções para enfrentar o problema de saúde, mas também pela forte promessa de resultados concretos. “Embora os fatores genéticos contribuam para quase metade de todos os casos de perda de audição, as opções de tratamento para surdez genética são escassas. Desenvolvemos uma abordagem de edição de genoma pois acreditamos que essa tecnologia pode chegar a uma posição dominante, trazendo eficácia no tratamento desse problema de saúde quando sua origem é hereditária”, explicaram os autores no estudo, liderado por David Liu, pesquisador da Universidade de Harvard. Continue lendo

OTITE EM BEBÊS E CRIANÇAS

A otite é uma inflamação do ouvido médio (espaço atrás do tímpano), muito frequente durante a infância, principalmente em crianças menores de 3 anos de idade, que vão à creche e que acumularam mucosidade em consequência de um catarro ou gripe.

A otite pode ser causada por uma infecção originada na garganta. Os vírus e bactérias chegam ao ouvido médio através da trompa de Eustáquio. A infecção do ouvido médio produz o acúmulo de pus e fluídos que pressionam sobre o tímpano ocasionando dor e perda da audição na criança.

As otites são as causas mais comuns de perda de audição em crianças, mas se diagnosticadas e tratadas corretamente, a audição geralmente volta aos limiares de normalidade. Sabe o que significa uma leve perda de audição de uma criança? Sérios prejuízos na aquisição de linguagem, desenvolvimento cognitivo e aprendizado, pois tudo está ligado um ao outro.

Embora os casos tenham sofrido uma redução, alguns estudos afirmam que é normal os bebês terem otite pelo menos uma vez até completarem 1 ano de vida. A frequência acontece por conta da maior abertura e permeabilidade da tuba auditiva, o conduto que liga a parte de trás do nariz com o ouvido médio. Além disso, há outros fatores comuns que fazem com que crianças dessa faixa etária tenham mais pré-disposição: pior controle de rinites e a entrada na creche depois do fim da licença-maternidade das mães, quando a criança está apenas com 4 ou 5 meses.

Continue lendo