MYCOPLASMA GENITALIUM (DST/IST)

Os Micoplasmas pertencem à classe dos Mollicutes, procariotos caracterizados pela ausência de parede celular. Esses microrganismos têm sido associados a infecções do trato genital alto e baixo com implicações como uretrites, cervicites, doença inflamatória pélvica, prostatites, epididimites, infertilidade no homem e na mulher, abortos e partos pré-maturos, bem como mortalidade neonatal e mais recentemente, câncer de prostata.

A bactéria Mycoplasma genitalium é uma causa comum de uretrite no homem e de cervicite na mulher, sendo recentemente reconhecida como uma IST.

É uma bactéria que vive nas células epiteliais e ciliadas dos tratos genitais e epiteliais dos primatas. É transmitida através do contato sexual, especificamente por contato com secreções, saliva e epitélio. Continue lendo

SEGUNDO ESTUDO, DENGUE PODE SER TRANSMITIDA POR VIA SEXUAL

Um estudo do Instituto Nacional para Doenças Infecciosas Lazzaro Spallanzani (Inmi), com sede em Roma, na Itália, indicou que o vírus da dengue também pode ser transmitido por via sexual.

A pesquisa da entidade, divulgada na publicação médica europeia “Eurosurveillance”, detectou a presença do vírus no líquido seminal de um italiano de 50 anos curado da doença após uma viagem à Tailândia. Os testes foram efetuados no laboratório de virologia do instituto, mediante técnicas de biologia molecular, em janeiro de 2018, nove dias após o diagnóstico de dengue no paciente.

O estudo revelou que o vírus permanece em replicação ativa no líquido seminal até 37 dias depois do surgimento dos primeiros sintomas. A dengue é transmitida geralmente pelos mosquitos do gênero Aedes e, até então, não havia sido comprovada a hipótese de contaminação via sexual, ao contrário do vírus zika. Continue lendo

EXISTE PRIAPISMO FEMININO? O QUE É SÍNDROME DA EXCITAÇÃO SEXUAL PERSISTENTE?

O priapismo é uma condição médica, no qual o paciente possui uma ereção persistente (acima de 4 horas) frequentemente dolorosa, desencadeada ou não pela atividade sexual.

Nas mulheres, existe uma disfunção chamada de Síndrome da excitação sexual persistente, ou Distúrbio de excitação genital persistente, e também chamada de transtorno de excitação persistente genital, conhecida mundialmente pela sigla PSAS (abreviação do inglês Persistent Sexual Arousal Syndrome), que consiste em uma condição que resulta em uma excitação espontânea e persistente nos órgãos genitais.

Esta condição tende a ser chamada popularmente de priapismo feminino, fazendo alusão do clitóris inchado, ao priapismo masculino, que geral excitação peniana persistente. Continue lendo

MEDICAMENTOS QUE PODEM DIMINUIR A LIBIDO

O desejo sexual (libido) sempre foi algo importante na vida de homens e mulheres por isso tudo que possa interferir e diminuir a libido, seja da pessoa solteira, seja do casal, é motivo de extrema preocupação para as pessoas, no mundo moderno.

A libido é fundamental para entender o comportamento humano, porque o condiciona e é vista como a energia que direciona os instintos vitais.

Como não está ligada exclusivamente aos órgãos genitais, a libido pode ser direcionada em relação a uma pessoa, objeto, ao próprio corpo ou a uma atividade intelectual.

Como consequência do mundo moderno, as pessoas tem tido mais acesso a medicações para as mais diversas enfermidades e um dos problemas que eles podem trazer a vida pessoas, são os tão temidos efeitos colaterais, estes que podem se refletir no desejo sexual, tanto masculino, quando feminino. Continue lendo

FATORES QUE DIMINUEM A LIBIDO FEMININA

A base hormonal do impulso sexual feminino está vinculada principalmente à testosterona, hormônio que é capaz de estimular a atividade sexual e baixos níveis do mesmo podem prejudicar o desejo, sem necessariamente comprometer toda a resposta sexual feminina. Elevados níveis de prolactina interferem na atividade dopaminérgica central, levando à diminuição da libido.

Os neurotransmissores são de suma importância na resposta sexual feminina, sendo a dopamina um combustível para o sexo e a serotonina antissexual. Fases como pós-parto, amamentação, menopausa geralmente estão acompanhadas de baixa libido por alterações hormonais e de neurotransmissores.

A sexualidade é capaz de influenciar a saúde física e mental da mulher, e quando a mulher tem uma atividade sexual satisfatória isso se reflete em sua pele, cabelos, humor, autoconfiança e sensação de bem-estar. O transtorno de qualquer uma das fases da resposta sexual (desejo, excitação, orgasmo e resolução) pode acarretar o surgimento de disfunções sexuais. Continue lendo

ESTUDO REVELA QUE SÊMEM HUMANO PODE CONTER ATÉ 27 TIPOS DIFERENTES DE VÍRUS

Um estudo revelou que esses microrganismos podem estar presente no sêmen de pessoas infectadas, mas, segundo os cientistas, ainda não foi comprovado que eles causam infecção ou desenvolvimento da doença quando contraídos em relações sexuais. 

O sêmen humano pode conter 27 vírus diferentes, sugere um estudo que será publicado na edição de novembro da revista científica Emerging Infectious Diseases. Em 2017, outras pesquisas já haviam indicado que o zika vírus e o ebola poderiam ser transmitidos pelo contato sexual desprotegido – além do já conhecido HIV, causador da Aids.

Porém, o novo estudo sugere que a lista de vírus presentes no sêmen pode ser maior do que os cientistas imaginavam, mesmo que nem todos causem, necessariamente, uma infecção que leve ao desenvolvimento da doença. Segundo os pesquisadores, a nova relação, que foi baseada em análise da literatura, inclui os causadores da dengue, meningite, algumas doenças respiratórias, rubéola, gripe e outros. Continue lendo

CONHEÇA OS PRINCIPAIS MITOS SOBRE ANDROPAUSA

Existe uma queda natural da testosterona entre os 40 e os 70 anos numa proporção de 1% ao ano. Porém em alguns homens ela é mais acentuada e precoce levando o homem a andropausa.

A Andropausa é uma queda na produção dos hormônios masculinos, comum em alguns homens. É importante se levar em consideração que diferente da menopausa, a Andropausa não causa a interrupção abrupta da produção de testosterona, no homem, mas sim uma gradativa diminuição da testosterona livre.

A andropausa pode causar grande variedade de sinais e sintomas e estar relacionada a diversas enfermidades do homem. No diagnóstico da andropausa, leva-se em conta o que o indivíduo sente e/ou apresenta durante o exame físico para avaliação das possíveis causas. Continue lendo