VACINAS PARA OS ADULTOS

Falar sobre vacinas já remete a vacinação das crianças, pela qual se busca obter imunidade contra agentes de doenças que o organismo não estaria preparado para combater.

No entanto, não é só na infância que as vacinas se fazem necessárias. Jovens, adultos e especialmente pessoas mais velhas precisam estar em dia com o programa de vacinação.

Nem todas as vacinas que você tomou na infância vão conseguir protegê-lo durante toda a vida. De tempos em tempos é preciso um reforço para manter a própria proteção e a de quem estiver próximo. Além disso, novas vacinas “blindam” contra doenças até então sem imunização específica.

Veja abaixo quais são as principais vacinas que constam no programa de vacinação brasileiro da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). Continue lendo

SARAMPO

No campo das doenças infectocontagiosas, a literatura ressalta o sarampo como uma das principais causas de morbimortalidade entre crianças menores de 5 anos, sobretudo as desnutridas e as que vivem nos países subdesenvolvidos.

Na década de 90, estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) referiam a ocorrência de mais de 45 milhões de casos de sarampo a cada ano, em todo o mundo, contribuindo com cerca de um a dois milhões de mortes, decorrentes das complicações da doença e que atingem mais frequentemente os menores de dois anos de idade.

É uma doença de distribuição universal que apresenta variação sazonal. Nos climas temperados observa-se o aumento da incidência no período entre o final do inverno e o início da primavera. Nos climas tropicais a transmissão parece aumentar depois da estação chuvosa.

O agente etiológico da doença é o vírus do sarampo, este pertencente ao gênero Morbillivirus e à família Paramyxoviridae. Continue lendo

PRINCIPAIS PERGUNTAS SOBRE O SARAMPO

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa, muito comum na infância.

A viremia, causada pela infecção, provoca uma vasculite generalizada [vesículas], responsável pelo aparecimento das diversas manifestações clínicas, inclusive pelas perdas consideráveis de eletrólitos e proteínas, gerando o quadro espoliante característico da infecção. Além disso, as complicações infecciosas contribuem para a gravidade do Sarampo, particularmente em crianças menores de um ano de idade.

Acredita-se que estas complicações sejam desencadeadas pelo próprio vírus do sarampo que, na maior parte das vezes, atinge mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

Continue lendo