FEBRE DO FENO

A febre do feno, também chamada de rinite alérgica, afeta a cavidade nasal e é causada por partículas de pólen.

Para ser mais preciso, a rinite alérgica é mais abrangente do que a febre do feno e pode ser causada por vários alérgenos diferentes. Pode-se sofrer de rinite alérgica se você é alérgico a poeira, por exemplo.

A febre do feno é uma forma de rinite alérgica causada por partículas de pólen. Ela pode ocorrer em diferentes épocas do ano, dependendo do tipo de pólen que você é alérgico.

Estes pólens podem vir de árvores (bétula, avelã…), de gramíneas (feno, tanchagem…) ou de outras plantas (urtiga, artemísia…).

Vale lembrar que pólens são as sementes que permitem a reprodução das plantas, e são principalmente veiculadas na primavera e no verão. Continue lendo

LORATADINA: CONCEITOS FARMACOLÓGICOS BÁSICOS

A Loratadina é um fármaco pertencente a classe dos anti-histamínicos antagonistas dos receptores H1.

Os receptores H1 tem como função a mediação da contração da musculatura lisa, aumento da permeabilidade vascular, prurido, geração de prostaglandinas, diminuição da condução atrioventricular acompanhada de taquicardia, ativação dos reflexos vagais. Alvo para antialérgicos.

A ação terapêutica de loratadina tem início logo após sua administração. Loratadina propicia alívio dos sintomas associados à rinite alérgica e ao resfriado comum. Propicia também alívio de sinais e sintomas de urticária e outras afecções dermatológicas alérgicas.

É um fármaco que pode ser encontrando em forma líquida, como xarope ou em comprimidos. Também pode estar associada a outro antialérgico. Continue lendo

RINITE ALÉRGICA

A rinite alérgica é uma inflamação da mucosa que reveste o nariz que é causada por uma reação alérgica. Geralmente, a rinite alérgica aparece após estar em contato com substâncias alérgicas.

A rinite alérgica surge quando uma pessoa alérgica inala alguma partícula que estimula o seu sistema imune. Pessoas alérgicas ao  são aquelas que ao entrar contato com um alérgeno pela primeira vez produzem em grande quantidade um anticorpo chamado IgE. A partir deste momento, a mucosa nasal começa a ficar povoada com uma célula do sistema imune chamada mastócito, que possui vários anticorpos IgE em sua superfície. Essa é uma resposta normal do organismo, as substancias capazes que estimular essa resposta, no indivíduo. Assim que esta pessoa entra novamente em contato com o mesmo alérgeno, os anticorpos IgE rapidamente o capturam, ativando os mastócitos que liberam vários mediadores químicos para destruir o invasor, sendo o mais importante a histamina, responsável pelos principais sintomas da rinite.

Continue lendo