ÁCIDO ACETILSALICÍLICO – AAS: INDICAÇÕES E USO

Um dos medicamentos mais famosos à base de ácido acetilsalicílico é a Aspirina. O seu nome foi obtido da seguinte maneira: A vem de acetil; Spir se refere a Spiraea ulmaria (planta que fornece o ácido salicílico); e o in era um sufixo utilizado na época, formando o nome Aspirin, que depois foi aportuguesado para Aspirina. Em alguns países, Aspirina é ainda nome comercial registrado, propriedade dos laboratórios farmacêuticos da Bayer para o composto ácido acetilsalicílico.

O ácido acetilsalicílico é um fármaco do grupo dos antinflamatórios não-esteroides, utilizado como antinflamatório, antipirético, analgésico e também como antiplaquetário.

Possui apresentações em comprimidos, comprimidos de liberação entérica, capsulas, efervescente, pó granulado, liquida e em pomada.

Por abreviação do nome, também é conhecido como AAS.

NOTA: O que diferencia a versão infantil, da adulta, da antiagregante plaquetária e da antinflamatória é apenas a concentração de Ácido Acetilsalicílico encontrado na formulação.

Continue lendo

HIOSCINA – RESUMO

A Hioscina ou brometo de escopolamina é um fármaco antagonista dos receptores muscarínicos, também conhecido como uma substância anticolinérgica. É o enantiômero da hioscina, l-hioscina. É obtida a partir de plantas da família Solanaceae, sendo um dos seus metabólitos secundários.

Atua impedindo a passagem de determinados impulsos nervosos para o sistema nervoso central pela inibição da ação do neurotransmissor da acetilcolina. É utilizada como antiespasmódico.

O nome hioscina provém do nome científico do meimendro (Hyoscyamus niger), que é uma espécie de fanerógama pertencente à família das solanáceas, ao qual se pode obter a hioscina.

Continue lendo

MEDICAMENTOS ANTIVIRAIS – RESUMO

Os medicamentos capazes de extinguir uma infecção viral são chamados de antivirais, como os vírus podem se aproveitar de vias metabólicas de seu hospedeiro é muito difícil encontrar fármacos que ajam de maneira específica para o combate a estes agentes, além disso o modo de ação destas drogas ainda não é completamente compreendido, porém a maioria das drogas disponíveis atualmente estão relacionadas com a inibição da síntese ou na regulação viral do de seus ácidos nucleicos dentro dos hospedeiros.

Dentre os mecanismos para o tratamento de infecções virais temos o Bloqueio da ligação do vírus, Inibição da síntese de DNA/RNA, Inibição da síntese proteica, Inibição de juntamento, Inibição da liberação de vírus, Inibição de vírus não encapsulado e o Estímulo Imunológico.

Continue lendo