PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A SINUSITE

A sinusite é uma inflamação na mucosa dos seios paranasais. Estas cavidades normalmente estão cheias de ar, mas quando são bloqueadas por secreções contendo germes como bactéria, vírus ou fungos, pode se desenvolver e causar esta infecção.

A sinusite pode ser causada por uma infeção, alergias, poluição do ar ou problemas estruturais no nariz.  Porém a maior parte dos casos é causada por infecções virais ou bacterianas.

Entre os sinais e sintomas mais comuns estão a produção de muco nasal espesso, nariz entupido e dor na face. Entre outros possíveis sinais e sintomas estão a febre, dores de cabeça, diminuição do olfato, garganta inflamada e tosse. Continue lendo

TESTE RÁPIDO DE HIV: ONDE FAZER E COMO FUNCIONA?

Cerca de 135 mil pessoas estão infectadas com HIV no Brasil e não sabem. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2016, aproximadamente 840 mil pessoas viviam com o vírus. Desse total, 694 mil estavam diagnosticadas; sendo que 498 mil já haviam iniciado o tratamento.

Proporcionalmente, o número de brasileiros diagnosticados aumentou em 18% em 4 anos, passando de 71%, em 2012, para 84%, em 2016. Apesar desse aumento, o Governo do Brasil tem reforçado iniciativas para garantir o diagnóstico e o acesso ao tratamento contra o vírus. Neste ano, por exemplo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) registrou o primeiro autoteste para tiragem do HIV e o País se tornou o primeiro da América Latina a disponibilizar o produto em farmácias.

Outra iniciativa é o teste rápido oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Qualquer pessoa pode realizá-lo de forma anônima.  Continue lendo

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE INFLUENZA H7N9 – GRIPE AVIÁRIA

O vírus influenza A da gripe A (H7N9), foi identificado na China em março de 2013, causando doença grave em seres humanos. Foi a primeira vez que um vírus influenza A aviário de baixa patogenicidade foi associado a resultados fatais para as pessoas. De lá pra cá, inúmeras pessoas acabaram se contaminando com o vírus, este de se desenvolve de forma grave em humanos, causando uma preocupação mundial, dado o risca de uma pandemia.

Veja abaixo algumas questões sobre a Influenza A (H7N9)

Continue lendo

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE FEBRE AMARELA

O vírus da febre amarela é um arbovírus do género flavivírus e é transmitido pelos mosquitos pertencentes às espécies Aedes e Haemogogus. As diferentes espécies de mosquitos vivem em habitats diferentes – alguns vivem em torno às casas (domésticos), outros na selva (selvagens) e alguns em ambos os habitats (semi-domésticos). Há 3 tipos de ciclos de transmissão:

  • Febre amarela selvática (ou da selva): nas florestas tropicais, os macacos, que são o principal reservatório da febre amarela, são picados por mosquitos selvagens que passam o vírus para outros macacos. Ocasionalmente, os humanos que trabalham ou viajam pela floresta são picados por mosquitos e contraem a febre amarela.

  • Febre amarela intermédia: neste tipo de transmissão, os mosquitos semi-domésticos (os que proliferam tanto na selva como junto das casas) infectam tanto os macacos como as pessoas. O maior contato entre as pessoas e os mosquitos infectados gera uma maior transmissão e muitas aldeias separadas numa determinada zona podem desenvolver surtos em simultâneo. Este é o tipo mais comum de surtos em África.

  • Febre amarela urbana: as grandes epidemias ocorrem quando pessoas infectadas introduzem o vírus em zonas densamente povoadas, com elevada densidade de mosquitos, e onde a maioria das pessoas tem pouca ou nenhuma imunidade, por não estarem vacinadas. Nestas condições, os mosquitos infectados transmitem o vírus de pessoa para pessoa.

Fonte: OMS

Continue lendo

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE DENGUE

A transmissão se faz pela picada dos mosquitos Aedes aegypti, no ciclo ser humano – Aedes aegypti – ser humano. Foram registrados casos de transmissão vertical (gestante – bebê) e por transfusão sanguínea.


Quando o vírus da dengue circulante no sangue de uma pessoa em viremia (geralmente um dia antes do aparecimento da febre até o sexto dia da doença) é ingerido pela fêmea do mosquito durante o repasto, o vírus infecta o mosquito e após um período de oito a doze dias de incubação, pode ser transmitido para outras pessoas durante futuros repastos. O mosquito permanece infectado por toda a vida (6 a 8 semanas).

O período de incubação no homem varia de 4 a 10 dias, sendo em média de 5 a 6 dias. Após este período surgem os sintomas da doença.

Veja algumas perguntas e respostas sobre Dengue:

Continue lendo

MITOS E VERDADES SOBRE ZIKA

Informações de todos os tipos têm circulado na Internet sobre os casos de Zika e microcefalia. O Ministério da Saúde (MS) publicou algumas notas para esclarecer a população sobre mitos que estavam sendo indevidamente compartilhados.

Confira:

mito-verdade


O aumento de casos de microcefalia está relacionado ao uso de mosquitos com bactéria?

Não é verdadeira a informação de relação entre a incidência do vírus Zika com os mosquitos portadores da bactéria Wolbachia. Desde 2014, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Ministério da Saúde, desenvolve o projeto “Eliminar a Dengue: Desafio Brasil” que propõe o uso de uma bactéria naturalmente encontrada no meio ambiente, inclusive no pernilongo, chamada Wolbachia. Quando presente no Aedes Aegypti, a bactéria é capaz de impedir a transmissão da dengue pelo mosquito. A pesquisa é inédita no Brasil e na América Latina. O estudo já foi realizado, com sucesso, na Austrália, Vietnã e Indonésia.

Continue lendo

DST’s – PRINCIPAIS DÚVIDAS

Doenças sexualmente transmissíveis

 dst

– As chances de se contrair uma DST através do sexo oral são menores do que sexo com penetração?
O fato é que nenhuma das relações sexuais sem proteção é isenta de risco – algumas DST têm maior risco que outras. A transmissão da doença depende da integridade das mucosas das cavidades oral ou vaginal. Independente da forma praticada, o sexo deve ser feito sempre com camisinha.


– Toda ferida ou corrimento genital é uma DST?
Não necessariamente. Além das doenças sexualmente transmissíveis, existem outras causas para úlceras ou corrimentos genitais. Entretanto, a única forma de saber o diagnóstico correto é procurar um serviço de saúde.


– É possível estar com uma DST e não apresentar sintomas?

Sim. Muitas pessoas podem se infectar com alguma DST e não ter reações do organismo durante semanas, até anos. Dessa forma, a única maneira de se prevenir efetivamente é usar a camisinha em todas as relações sexuais e procurar regularmente o serviço de saúde para realizar os exames de rotina. Caso haja alguma exposição de risco (por exemplo, relação sem camisinha), é preciso procurar um profissional de saúde para receber o atendimento adequado.


Continue lendo