LIXIANA É APROVADO PELA ANVISA

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta terça-feira (6) novo medicamento que evita a coagulação do sangue e, com isso, previne condições como o AVC (Acidente Vascular Cerebral).

A droga, chamada de Lixiana (edoxabana), também previne trombose venosa e embolia pulmonar.

Essas condições têm em comum o fato de que podem ser causadas por pequenos coágulos que bloqueiam a passagem do sangue.

A Edoxabana pertence à classe de novos anticoagulantes que começaram a ser pesquisados a partir dos anos 2000. Continue lendo

OCRELIZUMABE É APROVADO PARA TRATAMENTO DE ESCLEROSE MÚLTIPLA

Pacientes que sofrem de esclerose múltipla passaram a ter uma nova opção com a aprovação do Ocrelizumabe, que recebeu registro da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O novo medicamento, produzido pela Roche, impede surtos da doença.

A esclerose múltipla é uma condição em que o sistema de defesa “ataca” a estrutura que reveste as células nervosas: a bainha de mielina. Continue lendo

NOVO GENÉRICO PARA TRATAMENTO DE CÂNCER DE PRÓSTATA

A Anvisa publicou o registro do medicamento genérico acetato de abiraterona, que é utilizado no tratamento de pacientes com câncer de próstata metastático resistente a castração, em combinação com os medicamentos prednisona ou prednisolona.

De acordo com a Lei dos Genéricos, a aprovação do medicamento deve reduzir os custos do tratamento, pois os medicamentos genéricos devem entrar no mercado com valor pelo menos 35% menor que o do produto de referência. Continue lendo

NOVO MEDICAMENTO PARA REPRODUÇÃO ASSISTIDA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, um novo remédio para tratamentos de infertilidade feminina.

O princípio ativo do Rekovelle é a deltafolitropina, substância que está associada ao hormônio Folículo Estimulante Humano (FSH). É esse componente que permite a liberação dos óvulos pelos ovários para a fecundação. Com isso, estimula os ovários a desenvolverem múltiplos folículos. Continue lendo

APROVADO PARA USO NO BRASIL: HYQVIA®

Foi publicado no Diário Oficial da União de (25/9/2017) o registro do Hyqvia® (imunoglobulina G + hialuronidase). O produto foi registrado como produto biológico novo, de acordo com a Resolução-RDC n° 55, de 16 de dezembro de 2010.

Hyqvia® é composto de uma preparação de imunoglobulina humana a 10% acompanhada pela enzima hialuronidase humana recombinante, utilizado para melhorar a dispersão e absorção da imunoglobulina humana sob a pele.

Os medicamentos biológicos são moléculas complexas obtidas a partir de fluidos biológicos, tecidos de origem animal ou procedimentos biotecnológicos por meio de manipulação ou inserção de outro material genético (tecnologia do DNA recombinante) ou alteração dos genes que ocorre devido à irradiação, produtos químicos ou seleção forçada. Continue lendo

APROVADO NOVO MEDICAMENTO PARA DIABETES TIPO 2

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro de um novo medicamento para controle do diabetes mellitus tipo 2.

O medicamento Soliqua será uma nova opção para o tratamento da doença. Ele será fornecido com uma caneta aplicadora e é composto por duas moléculas na formulação: a insulina glargina e a lixisenatida.

De acordo com a Anvisa, o remédio deverá ser usado em adultos para melhorar o controle glicêmico quando outras opções de tratamento não estejam mais funcionando.

A partir de agora, o produto segue para uma definição de preço que deverá ser aprovada por órgão vinculado ao Ministério da Saúde. Segundo a agência, o processo tem demorado em média três meses. Depois disso, poderá ser comercializado pelo país.

Continue lendo

NOVO MEDICAMENTO APROVADO PARA CÂNCER DE PULMÃO

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira uma nova frente de tratamento contra o câncer de pulmão. O Keytruda®, nome comercial do pembrolizumabe, será indicado como primeira linha de tratamento para os doentes com tumores com um marcador específico.

O novo tratamento não se aplica a todos os pacientes mas, nos casos indicados, poderá substituir a quimioterapia

Segundo dados apresentados recentemente durante o congresso anual da American Society of Clinical Oncology, a ASCO, 61% dos pacientes do grupo que utilizaram o pembrolizumabe permaneceram vivos aos 18 meses de tratamento, em comparação com 43% do grupo da quimioterapia. Além disso, a nova terapia reduziu em 37% o risco de morte por qualquer causa.

Este medicamento é indicado como monoterapia para o tratamento de pacientes com melanoma metastático ou irressecável.


FONTE: ANVISA