NIMESULIDA É TÓXICA PARA O FÍGADO?

A Nimesulida costumar ser indicada para alívio de dores agudas, como dor de ouvido, garganta e de dente. Além disso, algumas mulheres utilizam para controlar as cólicas menstruais. Já a forma em gel é usada para alívio das dores de tendões, ligamentos, músculos e nas articulações em casos de traumatismo.

Segundo informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a nimesulida é uma substância que inibe a produção de enzimas liberadas durante o processo de inflamação, tendo, portanto, efeito analgésico e antitérmico.

Uma revisão de literatura publicada na Revista Brasileira de Farmácia (RBF), mostrou que a nimesulida pode afetar o fígado de pacientes de forma severa e até fatal. Os pesquisadores acreditam que o consumo do medicamento está associado a alterações nos padrões de funcionamento das mitocôndrias – organelas que atuam na respiração celular -, levando à morte das células do fígado. Por causa dos efeitos colaterais, os médicos tentam evitar que o paciente use o remédio por muito tempo já que ele também pode afetar os rins. Continue lendo

NIMESULIDA: CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

A Nimesulida é um medicamento da classe dos antinflamatórios não esteroidais (AINEs), que atua através da inibição da enzima ciclooxigenase (COX) e, consequentemente, da cascata do ácido araquidônico, que é responsável pela síntese de substâncias envolvidas na inflamação, tais como as prostaglandinas. Desta forma, a nimesulida combate os processos inflamatórios, as dores e a febre.

A nimesulida, comercializada com o nome de Scaflam (Mantecorp),Mesalgin (TKS), Nisulid (Ache), Optaflan (Gallia), Nimesilam (EMS) e Cimelide (Cimed) é um fármaco antinflamatório não esteróide pertencente à classe das sulfonanilidas, com efeito antinflamatório, antipirético e analgésico.

Atualmente é vendido em todo o mundo, em mais de 50 países, em formas de comprimidos, gotas( suspensão oral) e géis.

A nimesulida foi desenvolvida pelo Dr. George Moore e colaboradores nos Laboratórios Riker

O nome químico do composto, 4-nitro-2-fenoxi-metanosulfonanilida, serviu de base para o nome genérico do fármaco, isto é, nimesulida. Em 1980 foi licenciada pela companhia de saúde suíça, Helsinn Healthcare SA, que continuou a investir em investigações intensivas no fármaco.

Continue lendo