RESSECAMENTO VAGINAL

O ressecamento vaginal é compreendido com a perda ou diminuição acentuada da produção de muco pela vagina, o que dá a sensação de ressecamento, podendo causar desconforto e dores.

A produção de muco vaginal é essencial para proteção do órgão bem como para a manutenção da saúde feminina ao longo dos ciclos menstruais.

O ressecamento vaginal é um problema que pode ser enfrentado pela mulher, independente da idade, estando ligada a vários tipos de problema, causando desconforto principalmente durante o contato íntimo.

Algumas das possíveis causas são: Continue lendo

SECREÇÃO VAGINAL

Uma secreção vaginal pode ser resultado de alterações normais na concentração de estrogênio. Quando a concentração está elevada, o estrogênio estimula o colo do útero a produzir secreções (muco), e uma pequena quantidade de muco pode ser excretada pela vagina. A concentração de estrogênio está elevada nas situações a seguir:

  • Durante os ciclos menstruais, alguns dias antes da liberação do óvulo
  • Em recém-nascidas durante uma semana ou duas após o nascimento, pois absorvem estrogênio da mãe antes de nascerem
  • Alguns meses antes de as meninas terem a menarca
  • Durante a gestação
  • Em mulheres que tomam medicamentos que contêm estrogênio ou que aumentam a produção do estrogênio (por exemplo, alguns medicamentos para fertilidade)

Normalmente, secreções normais não têm odor. Geralmente, são esbranquiçadas ou inconsistentes e claras. No decorrer da idade fértil, a quantidade e o aspecto podem variar durante o ciclo menstrual. Continue lendo

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL – AVC: SAIBA COMO AJUDAR

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), também conhecido como “Derrame Cerebral”, é uma doença crônica não transmissível e é uma das principais causas de morte, incapacidade adquirida e internações em todo o mundo. Acontece quando vasos que levam sangue ao cérebro entopem ou se ropem, provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea.

É uma doença que acomete mais os homens do que as mulheres.

Continue lendo

FATORES DE RISCO: CÂNCER DE MAMA

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

Para o Brasil, estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama, para cada ano do biênio 2018-2019, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres.

O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, tais como: idade, fatores endócrinos/história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários. Continue lendo

CERVICITE OU ENDOCERVICITE AGUDA

Inflamação no colo do útero, a parte inferior, mais estreita do útero, que se abre na vagina, provocada por uma variedade de organismos e outros quadros clínicos, é chamada de Cervicite aguda ou endocervicite. 

A cervicite pode se disseminar para cima a partir do colo do útero e afetar o revestimento do útero (causando endometrite) e os outros órgãos reprodutivos (causando doença inflamatória pélvica).

Se a cervicite aparecer de repente, é geralmente causada por uma infecção. Se ela estiver presente por um longo período de tempo (crônica), normalmente não é causada por uma infecção.

As infecções que costumam causar a cervicite incluem doenças sexualmente transmissíveis como: Continue lendo

MENOPAUSA E INSÔNIA

O climatério é definido pela Organização Mundial da Saúde como uma fase biológica da vida e não um processo patológico, que compreende a transição entre o período reprodutivo e o não reprodutivo da vida da mulher. A menopausa é um marco dessa fase, correspondendo ao último ciclo menstrual, somente reconhecida depois de passados 12 meses da sua ocorrência e acontece geralmente em torno dos 48 aos 50 anos de idade.

O climatério não é uma doença e sim uma fase natural da vida da mulher e muitas passam por ela sem queixas ou necessidade de medicamentos. Outras têm sintomas que variam na sua diversidade e intensidade. No entanto, em ambos os casos, é fundamental que haja, nessa fase da vida, um acompanhamento sistemático visando à promoção da saúde, o diagnóstico precoce, o tratamento imediato dos agravos e a prevenção de danos. Continue lendo

COLESTEROL E GRAVIDEZ

As preocupações que surgem em uma mulher quando ela descobre que está grávida não são poucas. As dúvidas aparecem de todo lugar, sobre a aparência, sobre a alimentação, sobre exercícios físicos e principalmente sobre a saúde, como é o caso de dúvidas sobre colesterol alto nesta fase.

Muitas mulheres ficam em dúvida sobre quais são as consequências do colesterol alto na gravidez, no que isso pode afetar o feto ou ela mesma durante esses nove meses.

Todos nos sabemos que colesterol alto não é um bom sinal e que alguns cuidados precisam ser tomados, mas na gravidez isso pode ser até mesmo considerado normal. Porém, se os números ultrapassarem dos limites, o cuidados precisam ser ainda maiores para que não haja nenhum tipo de complicação. Continue lendo