INCIDÊNCIA DO HPV

O HPV é responsável por 99% dos casos câncer de colo de útero, o terceiro mais frequente entre as mulheres no Brasil, o quarto que mais mata — e um dos poucos que pode ser prevenido com vacina.

Desde 2008, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou a vacina contra o HPV, houve um rápido declínio no contágio e na incidência da doença em algumas partes do mundo.

Segundo a OMS, a vacina reduz em 70% as chances de desenvolver câncer do colo do útero se for aplicada em jovens entre 12 e 26 anos, antes do primeiro relacionamento sexual. Continue lendo

ONCOVÍRUS

O termo oncovírus atualmente diz respeito a qualquer vírus que possui a capacidade de alterar o ciclo celular normal de uma célula infectada, levando-a a proliferação desenfreada e a constituição de um tumor.

Este termo originou-se de estudos de retrovírus intensamente transformadores nos anos 1950-60, frequentemente chamados de vírus de milho para denotar a origem do vírus de RNA. Agora se refere a qualquer vírus com um genoma de DNA ou RNA que possui a capacidade de estimular o aparecimento de um câncer.

Durante a infecção eles integram seu DNA ao genoma da célula hospedeira e por evento raro de recombinação são separados novamente do genoma portando consigo um segmento do DNA da célula hospedeira. Se este segmento possuir sequências reguladoras de um passo crítico da divisão celular, o vírus ao infectar outras células afetará este processo fazendo com que estas se dividam sem controle, gerando tumores. Continue lendo

VACINAS PARA OS ADULTOS

Falar sobre vacinas já remete a vacinação das crianças, pela qual se busca obter imunidade contra agentes de doenças que o organismo não estaria preparado para combater.

No entanto, não é só na infância que as vacinas se fazem necessárias. Jovens, adultos e especialmente pessoas mais velhas precisam estar em dia com o programa de vacinação.

Nem todas as vacinas que você tomou na infância vão conseguir protegê-lo durante toda a vida. De tempos em tempos é preciso um reforço para manter a própria proteção e a de quem estiver próximo. Além disso, novas vacinas “blindam” contra doenças até então sem imunização específica.

Veja abaixo quais são as principais vacinas que constam no programa de vacinação brasileiro da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). Continue lendo

GLÂNDULAS DE TYSON

Na aparência elas podem ser confundidas como verrugas genitais ou herpes. Mas na verdade, são pequenas bolinhas de cor branca que se formam ao redor da glande do pênis.

Quando há secreção abundante dessas Glândulas há formação do “esmegma”, que lembra uma “massa branca”.

Na maior parte da população masculina, elas são pouco desenvolvidas e quase não aparecem. Mas, para cerca de 8% a 12% dos homens, elas se tornam hipertrofiadas, ou aumentadas, sem qualquer razão específica, apenas por uma questão genética. Continue lendo

HPV NO HOMEM

Para todo homem sexualmente ativo é muito provável que ele já tenha tido ou que terá contato com o papiloma vírus humano (HPV) em algum momento da vida. Na maioria das pessoas, o próprio organismo trata de eliminar o vírus. Mas, em outras, o HPV pode sobreviver e causar verrugas ou até o câncer.

A principal forma de contágio do HPV é por via sexual, seja por relação anal, vaginal, oral ou outros tipos de contato durante uma relação. E o principal sinal da infecção pelo vírus são verrugas genitais, que têm a aparência parecida com uma couve flor. Mas, outros sinais como caroços ou feridas no pênis, escroto, ânus, boca ou garganta também podem indicar que você está infectado pelo HPV.

Ainda não existe um teste para confirmar a infecção por HPV nos homens. O que você pode fazer para se prevenir, é ter acompanhamento médico regular com um urologista ou, assim que identificar qualquer um desses sinais, procurar um médico. Continue lendo

INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS MAIS COMUNS NA POPULAÇÃO BRASILEIRA

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos.

São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina, com uma pessoa que esteja infectada. A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções. O atendimento e o tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS. Continue lendo

ANVISA APROVA VACINA MAIS EFICAZ CONTRA O HPV

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou essa semana uma vacina mais eficaz contra o papilomavírus humano (HPV). O imunizante, chamado de Gardasil 9, inclui os subtipos 31, 33, 45, 52 e 58 do HPV, além dos subtipos 6, 11, 16, 18 que existiam na versão anterior do produto.

Isso significa que ela aumenta a proteção contra o vírus ao aumentar de quatro para nove subtipos do vírus HPV, associados ao desenvolvimento câncer de útero, vulva, vagina e ânus. Continue lendo