INFLUENZA: A DIFERENÇA ENTRE H1N1 e H3N2

O QUE É O H3N2?

O H3N2 é um subtipo do vírus da influenza A, responsável pelo maior surto degripe nos EUA nos últimos anos, com mais de 47 mil pessoas infectadas. Recentemente, chegou no Brasil e chamou a atenção das autoridades da saúde.

Originalmente, o H3N2 não é um vírus que afeta humanos, sendo mais comum em espécies como aves e suínos. Contudo, a transmissão entre pessoas é possível. Dessa forma, fica conhecido como vírus variante.

O nome H3N2 corresponde aos dois tipos de proteína em sua superfície de revestimento, sendo elas a hemaglutinina (H) e a neuraminidase (N).

Apesar de já se ter histórico de casos da doença, em 2018 o vírus se mostrou uma ameaça maior. No Brasil, até então, já se tem registro de mortes provocadas pela condição. Continue lendo

INFLUENZA A H1N1 – GRIPE SUÍNA

A Influenza A H1N1 consiste em uma doença causada por uma mutação do vírus da gripe. Também conhecida como gripe Tipo A ou gripe suína, ela se tornou conhecida quando afetou grande parte da população mundial entre 2009 e 2010.

O vírus Influenza A (H1N1) circula no mundo desde, pelo menos, o início do século XX, tendo sido ele o responsável por grandes epidemias de gripe do passado.

Assim como qualquer Influenza A, o subtipo H1N1 possui uma grande capacidade de mutação, fazendo com que de tempos em tempos uma nova cepa seja responsável por novas epidemias.

A última epidemia de gripe H1N1 havia ocorrido no final da década de 1970. Desde então o vírus circulava entre humanos sem causar grandes estragos. Em 2009, porém, surgiu no México uma nova cepa de H1N1 que teve origem no Influenza A H1N1 que afetava porcos (daí o nome gripe suína). Esta cepa suína sofreu uma mutação e passou a ser capaz de infectar seres humanos. Este novo H1N1 possuía em seu DNA características do vírus Influenza A presentes em aves, porcos e humanos, sendo diferente do H1N1 que circulava até então. Continue lendo

MEDIDAS DE PREVENÇÃO A GRIPE

A gripe é provocada pelos vírus influenza (tipo A, B, C e D) e temos uma síndrome semelhante à gripe provocada pelos vírus parainfluenza (tipo 1,2,3 e 4), chamada de resfriado.

Os efeitos da gripe são muito mais severos e duram mais tempo que um simples resfriado. A maioria das pessoas recupera-se totalmente em cerca de uma a duas semanas, mas outras irão desenvolver complicações que podem ser fatais.

Os vírus da gripe e do resfriado são muito contagiosos, apresentam sintomas semelhantes e infectam diversas pessoas. O resfriado comum infecta o nariz e a garganta, já a gripe ataca o sistema respiratório. Nenhuma das doenças tem cura e ambas desaparecem por conta própria, embora alguns casos possam tornar-se bem mais graves. Continue lendo

DOENÇAS COMUNS DURANTE O OUTONO

Segundo especialistas, no outono há um aumento considerável de doenças respiratórias, inflamatórias e alérgicas, como: resfriado, gripe, laringite, asma, bronquite, pneumonia e bronquiolite.

A razão deste aumento de doenças está ligada, sobretudo, a fatores climáticos. Nesse período do ano no Brasil, a temperatura do ar diminui, há pouca umidade atmosférica e, consequentemente, maior nível de poluição no ar.

A poluição é considerada a principal causa de surgimento de doenças respiratórias nessa estação do ano. A combinação desses fatores climáticos com o fato das pessoas ficarem mais tempo em ambientes fechados também pode contribuir para a disseminação de algumas doenças transmitidas pelo ar. Por isso, é importante evitar lugares com aglomeração de pessoas.

Caso um indivíduo apresente sinais de febre, tosse persistente e presença de catarro amarelado por um período superior a três dias, deve procurar atendimento médico. A automedicação não é recomendada.
Continue lendo

MITOS E VERDADES SOBRE A GRIPE

A gripe é uma infecção respiratória causada pelos vírus da família Influenza. Existem vários subtipos de Influenza, capazes de provocar quadros de gripas mais ou menos graves. Ela se difere do resfriado, por causa do seu agente causado, que é diferente, em cada doença.

Duas das principais diferenças entre a gripe e o resfriado são a febre e o estado geral do paciente. Enquanto o resfriado não costuma provocar febre (exceto em crianças pequenas), na gripe a febre é comum e costuma ser acima de 38ºC, principalmente nas crianças. Na gripe, o paciente apresenta-se mais prostrado, com dor de cabeça e, frequentemente, com dor nos músculos e articulações. No resfriado, o paciente tem coriza, tosse e espirros, mas encontra-se mais ou menos bem disposto, apenas incomodado com estes os sintomas.

Veja abaixo alguns dos principais mitos e verdades sobre a gripe:

Continue lendo

EQUINÁCEA (Echinacea purpurea)

O gênero Echinacea inclui apenas espécies originárias da América do Norte, sendo o gênero por isso considerado como um endemismo daquele continente.

São plantas herbáceas, perenes e tolerantes à secura, com 1 a 2 m de altura. As folhas são de lanceoladas a elípticas, de 10 a 20 cm de comprimento e 1,5 a 10 cm de largura. Como é característico de toda a família das asteráceas, as flores formam uma  inflorescência  composta por flores de coloração púrpura (raramente amarelas ou brancas) dispostas em forma de um pseudanto cônico, já que o limbo das lígulas exteriores tendem a apontar para baixo quando a flor se abre, formando, desta forma, um cone.

A várias espécies de Echinacea são atribuídas propriedades  imunoestimulantes que promovem os mecanismos de defesa do organismo, sendo o extrato de equinácea usado em tratamento complementar de infecções respiratórias e para uso preventivo e coadjuvante na terapia de resfriados e infecções do trato urinário.

Continue lendo

GRIPE AVIÁRIA – INFLUENZA A (H7N9)

A gripe aviária é causada por uma mutação do vírus Influenza A, transmissor da gripe. Outras variações do vírus, como H7N7, H7N9 e H9N2, também já infectaram humanos e o vírus H7N9 é o atual causador da Gripe Aviária em humanos.

O vírus influenza A (H7N9) é um subtipo de vírus influenza A de origem aviária. Esse subtipo viral (H7N9) não havia sido detectado circulando em outro animal ou infectando humanos até Março de 2013 quando foram detectados os primeiros casos de infecção humana na China.

Continue lendo