ADESIVO PARA MEDIR GLICOSE ATRAVÉS DA PELE

Um estudo publicado pela revista Nature Nanotechnology detalha um  novo adesivo que serve para medir o nível de glicose através da pele, o que pode fazer com que milhões de diabéticos não precisem usar agulhas para fazer as medições periódicas. A informação é da EFE.

O adesivo extrai a glicose do fluido entre as células epiteliais através dos folículos pilosos, aos quais tem acesso individualmente graças a sensores em miniatura que usam uma pequena corrente elétrica e recolhem a glicose em pequenos reservatórios para medi-la.

As leituras do nível da substância podem ser feitas a cada 10 ou 15 minutos ao longo de várias horas, segundo o estudo da Universidade de Bath, no Reino Unido. Continue lendo

ESTUDO BRASILEIRO PODE LEVAR A CRIAÇÃO DE UMA VACINA PARA FEBRE DO NILO

Pesquisa com participação do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP revela que uma das linhagens do arbovírus, causador da febre do Nilo Ocidental, é pouco virulenta e seus efeitos são essencialmente brandos. O resultado abre caminho para o desenvolvimento de uma vacina, uma vez que os vírus poderão ser utilizados para estimular as defesas do organismo. A doença, identificada inicialmente na África, se espalhou pela Europa e Estados Unidos, podendo chegar até o Brasil. O estudo é descrito em artigo da revista PLOS Neglected Tropical Diseases e é resultado de uma colaboração entre virologistas do Instituto Pasteur de Dakar, no Senegal, da USP e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

O trabalho contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e de órgãos de financiamento da União Europeia. Dengue, Zika e chikungunya são nomes que passaram a fazer parte do dia a dia dos brasileiros. A busca por vacinas, tratamentos e métodos de prevenção contra a infeção dos chamados vírus emergentes está entre os grandes desafios da epidemiologia mundial. E novos agentes patológicos continuam a surgir. Continue lendo

ESTUDO BRASILEIRO MOSTRA 100% DE EFICÁCIA DA PrEP

Estudo inédito realizado em cinco cidades mostra que o uso de antirretrovirais para prevenir o HIV foi eficaz em 100% dos casos. O trabalho acompanhou 526 voluntários que passaram a usar o medicamento como estratégia de prevenção.

No período avaliado, nenhuma das pessoas que usavam o medicamento contraiu o HIV.

“Três infecções foram identificadas, mas entre pessoas que esperavam para iniciar o uso da Prep (terapia pré-exposição)”, disse o coordenador do trabalho, o pesquisador Alexandre Grangeiro, da Universidade de São Paulo (USP). Para ele, o resultado confirma a importância da estratégia e reforça a necessidade de implementação no Sistema Único de Saúde. Continue lendo

ESTUDOS QUESTIONAM OS BENEFÍCIOS DA SUPLEMENTAÇÃO DE CÁLCIO E DE VITAMINA D PARA INDIVÍDUOS SAUDÁVEIS

Uma das questões mais controversas da nutrição é se os adultos deveriam, ou não, tomar suplementos de vitamina D e cálcio. Conforme o envelhecimento aumenta, e as fraturas ósseas se tornam um problema de saúde pública cada vez maior, com consequências sociais e econômicas, os pesquisadores têm tentado chegar a um consenso sobre o tema, a partir de estudos que associam a suplementação com o risco de fraturas.

A pesquisa mais recente, publicada nessa semana pelo jornal científico JAMA, analisou 33 pesquisas clínicas randomizadas, que envolveram no total mais de 50 mil adultos acima dos 50 anos. Cada um dos estudos analisados comparavam cálcio, vitamina D ou ambos em relação a um suplemente placebo, ou mesmo a nenhum tratamento. Continue lendo

SURDEZ DE FUNDO GENÉTICO: ESTUDO PODE GERAR UMA FORMA DE TRATAMENTO

Quase metade de todos os casos de surdez tem uma raiz genética e as opções de tratamento são bastante limitadas. Para mudar esse cenário, pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, utilizaram uma técnica de edição para eliminar uma mutação do DNA que “sabota” a audição. Os cientistas usaram o CRISP-Cas9, método que consegue cortar genes indesejados. A intervenção rendeu os resultados esperados. A mutação que causa surdez foi eliminada nos animais, o que evitou a perda de audição das cobaias. Publicados na última edição da revista Nature, esses achados podem resultar em uma técnica de tratamento com início ainda na infância.

Os autores do estudo destacam que a alteração de genes foi explorada como técnica para tratar a surdez genética não apenas devido à falta de opções para enfrentar o problema de saúde, mas também pela forte promessa de resultados concretos. “Embora os fatores genéticos contribuam para quase metade de todos os casos de perda de audição, as opções de tratamento para surdez genética são escassas. Desenvolvemos uma abordagem de edição de genoma pois acreditamos que essa tecnologia pode chegar a uma posição dominante, trazendo eficácia no tratamento desse problema de saúde quando sua origem é hereditária”, explicaram os autores no estudo, liderado por David Liu, pesquisador da Universidade de Harvard. Continue lendo

ESTUDO DEMONSTRA TRATAMENTO PROMISSOR PARA LEUCEMIA RESISTENTE

Estudo publicado na “Nature Medicine” mostra que pacientes com leucemia resistentes a tratamento, inclusive aqueles que já passaram por técnicas de terapia genética mais recentes, podem tentar um outro tipo de estratégia de modificação de genes para vencer o câncer. No estudo, a remissão completa com a nova terapia foi atingida em 73% dos casos.

A terapia genética voltada para o sistema imunológico se prepara para ser um dos tratamentos mais promissores para cânceres hoje sem terapia. A estratégia básica funciona mais ou menos assim: Continue lendo