ESCLEROSE MÚLTIPLA

O termo “esclerose múltipla” se refere a várias áreas de cicatrização (esclerose) resultantes da destruição dos tecidos que envolvem os nervos (bainha da mielina). Essa destruição denomina-se desmielinização. Às vezes, as fibras nervosas que enviam mensagens (axônio) também são afetadas. Com o tempo, o cérebro pode encolher, pois os axônios são destruídos.

Nos Estados Unidos, aproximadamente 400 mil pessoas, principalmente adultos jovens, têm esclerose múltipla. Cerca de 10.000 novos casos são diagnosticados a cada ano. Mundialmente, cerca de 2,5 milhões de pessoas apresentam esclerose múltipla. No Brasil, a Associeção Brasileira de Esclerose Multipla – ABEM estima que atualmente 35 mil brasileiros tenham Esclerose Múltipla

Mais comumente, a esclerose múltipla começa entre os 20 e 40 anos de idade, mas pode começar a qualquer momento entre os 15 e 60 anos de idade. De certa forma, ela é mais comum em mulheres. A esclerose múltipla é rara em crianças. Continue lendo

OCRELIZUMABE É APROVADO PARA TRATAMENTO DE ESCLEROSE MÚLTIPLA

Pacientes que sofrem de esclerose múltipla passaram a ter uma nova opção com a aprovação do Ocrelizumabe, que recebeu registro da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O novo medicamento, produzido pela Roche, impede surtos da doença.

A esclerose múltipla é uma condição em que o sistema de defesa “ataca” a estrutura que reveste as células nervosas: a bainha de mielina. Continue lendo