PERDA DE MEMÓRIA: COMPORTAMENTOS E SINAIS DE ALERTA

A perda de memória, principalmente a de curto prazo, deve ser tratada como um sinal de alerta a ser investigada, uma vez que ela pode ser o primeiro sinal visível para a doença de Alzheimer.

Por outro lado, não só pessoas mais velhas e idosos sofrem com esse problema que pode afetas todas as idades e pode ter causas comuns e comportamentais tanto quanto causas fisiológicas que precisam de acompanhamento médico.

A memória de curto prazo e a memória de longo prazo são armazenadas em partes diferentes do cérebro. A memória de longo prazo é armazenada em muitas partes do cérebro. Uma parte específica do cérebro (hipocampo) ajuda a classificar informações novas e associá-las a informações semelhantes já armazenadas no cérebro. Esse processo torna memórias de curto prazo em memórias de longo prazo. Quanto mais as memórias de curto prazo são lembradas ou repetidas, mais provável é que se tornem memórias de longo prazo.

Em geral, se a pessoa estiver ciente da perda de memória a ponto de se preocupar com ela, a pessoa não tem demência precoce. Continue lendo

CRISE DE AUSÊNCIA

A crise de ausência pode ser descrita como uma manifestação da epilepsia, bem mais comum em crianças do que em adultos. Consiste em perda da consciência por menos de 20 segundos, com tremor palpebral; o tônus da musculatura axial pode ou não ser perdido.

A pessoa que sofre desse mal, fica ausente e estática por alguns segundos, depois retornam naturalmente ao momento que foi interrompido.

Os pacientes não caem nem apresentam contrações espasmódicas; cessam abruptamente sua atividade, retomando-a da mesma forma, sem sintomas pós-ictais ou sem saber que tiveram uma crise epiléptica. Continue lendo