CRISE DE AUSÊNCIA

A crise de ausência pode ser descrita como uma manifestação da epilepsia, bem mais comum em crianças do que em adultos. Consiste em perda da consciência por menos de 20 segundos, com tremor palpebral; o tônus da musculatura axial pode ou não ser perdido.

A pessoa que sofre desse mal, fica ausente e estática por alguns segundos, depois retornam naturalmente ao momento que foi interrompido.

Os pacientes não caem nem apresentam contrações espasmódicas; cessam abruptamente sua atividade, retomando-a da mesma forma, sem sintomas pós-ictais ou sem saber que tiveram uma crise epiléptica. Continue lendo

FENOBARBITAL: O BARBITÚRICO CONHECIDO COMO GARDENAL®

O Fenobarbital é uma substância barbitúrica usada como medicamento anticonvulsivante, hipnótico e sedativo. E muito conhecido no Brasil sob o nome comercial Gardenal®, entre outros.

O primeiro barbitúrico foi sintetizado em 1902 pelos químicos alemães Emil Fisher e Joseph von Mering na Bayer. Em 1904, Fisher sintetizou alguns compostos parecidos, entre eles o fenobarbital. Este foi comercializado pela primeira vez em 1912, sob a marca comercial Luminal®. Foi utilizado como sedante e hipnótico até 1950, quando apareceram as benzodiazepinas.

Entre 1934 e 1945 o fenobarbital foi usado pelos médicos alemães da Alemanha nazista para matar os garotos que nasciam doentes ou com deformidades físicas, dentro do programa de eugenia que havia sido iniciado pelo Partido Nazista.

O fenobarbital é classificado como barbitúrico de ação longa e é, de todos os barbituratos, o que apresenta mais amplo leque de usos terapêuticos, por isso é empregado especialmente como sedativo, hipnótico e anticonvulsivo. Foi, aliás, o primeiro agente antiepiléptico orgânico eficaz. Continue lendo