GLAUCOMA: INFORMATIVO E ESTATÍSTICAS

O glaucoma é uma doença crônica, silenciosa, que não tem cura, mas na maioria dos casos pode ser controlada com tratamento adequado. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de evitar a perda da visão.

A doença que não tem cura, porém tem tratamento. A lesão instalada é irreversível, e por isso, a melhor forma de se lidar com ela é a preventiva. Existem vários tipos de glaucoma: crônico, agudo, secundário à outra patologia e congênito.

Na forma mais comum, o crônico, a sua progressão é lenta, e o portador não percebe que a pressão de seus olhos está alta. A pressão intra ocular aumentada leva ao sofrimento do nervo óptico, com consequente diminuição do campo visual, podendo levar à cegueira.

A forma aguda do glaucoma se caracteriza por crise de dor forte, devido ao aumento súbito da pressão intraocular. Neste caso a pressão aumenta por um mecanismo de bloqueio, onde o líquido que preenche o globo ocular fica sem sua circulação normal. Quanto maior for o tempo em que o olho fica exposto a esta pressão, pior, assim como quanto mais alta a pressão, mais rapidamente a lesão vai se instalar. Além da dor, nestes casos pode ocorrer embaçamento da visão, com sensação de visão de halos coloridos quando se olha para a luz. É mais comum em mulheres de idade, que já apresentam catarata. É uma condição de urgência e deve ser diagnosticado e tratado rapidamente. Quando visto a tempo o prognóstico é favorável.

Continue lendo