COMO GUARDAR MEDICAMENTOS EM CASA?

É um hábito comum dos brasileiros o de montar uma espécie de farmácia em casa para aqueles momentos em que os sintomas incômodos aparecem.

Mas como remédio não é brincadeira e existem ali substâncias potencialmente nocivas, especialmente se estiverem conservadas em más condições, é preciso um grande cuidado para que você não coloque em risco a sua saúde e a daqueles que moram com você.

Com bom senso e algumas dicas básicas, é mais fácil armazenar corretamente os medicamentos em casa. Veja abaixo: Continue lendo

ABUSO DE MEDICAMENTOS: AUTOMEDICAÇÃO NO BRASIL

No geral, quando nós pensamos em abuso de medicamentos, estamos sugestionados a lembrar de substâncias que mexem com a química do cérebro, tais como os antidepressivos, benzodiazepínicos, depressores do sistema nervoso central e etc, uma vez que esses têm tendência a criação de dependência física ou psicológica, porém o perigo não está somente nesses medicamentos. Aquele simples analgésico que se tem em casa, pode ser uma droga de abuso usada por pessoas que não têm consciência de suas consequências.

A maioria dos brasileiros toma remédios sem prescrição médica, colocando a vida em risco. A prática chamada como automedicação é praticada por milhares de pessoas, mesmo aquelas que não têm consciência de que isso pode lhe trazer riscos à saúde.

O problema da automedicação é uma realidade no país. A maioria dos lares tem um pequeno estoque de medicamentos usados comumente para aliviar os sintomas de dor e febre. Porém, o uso desses medicamentos que, aparentemente, não fazem mal algum, pode trazer sérios riscos à saúde. Para os especialistas, os remédios que podem ser comprados sem prescrição médica são mais usados do que as drogas ilícitas. Continue lendo

COMBINAÇÕES MEDICAMENTOSAS PERIGOSAS

Um levantamento mundial divulgou que a maioria das intoxicações por medicamentos acontecem com remédios considerados inofensivos pela população como analgésicos, antinflamatórios e antigripais.

No Brasil a situação não é muito diferente. Segundo levantamento do Sistema Nacional de Informações Tóxico Farmacológica (Sinitox), ligado ao Instituto Fio Cruz, os medicamentos são os principais responsáveis por intoxicação humana superando venenos, drogas e agrotóxicos.

A situação piora bastante quando há uma combinação entre diferentes medicamentos. “Muitas vezes o problema vem de uma automedicação. Um amigo ou familiar recebeu uma prescrição de um remédio e repassa para o paciente quando está com sintomas parecidos, apenas querendo ajudar”. Porém, não é porque uma medicação funcionou bem para um que terá o mesmo efeito no outro.

Outro problema comum é um paciente que já faz um tratamento com acompanhamento médico, esquecer-se de informar durante a consulta com outro especialista quais são os medicamentos que já estão sendo usados.

Além de outros medicamentos, alguns alimentos, hábitos e doenças também podem alterar o metabolismo de remédios. Por isso, é importante deixar seu médico a par da situação geral de sua saúde e questioná-lo sobre as restrições que envolvam seu tratamento.

Continue lendo