NIMESULIDA É TÓXICA PARA O FÍGADO?

A Nimesulida costumar ser indicada para alívio de dores agudas, como dor de ouvido, garganta e de dente. Além disso, algumas mulheres utilizam para controlar as cólicas menstruais. Já a forma em gel é usada para alívio das dores de tendões, ligamentos, músculos e nas articulações em casos de traumatismo.

Segundo informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a nimesulida é uma substância que inibe a produção de enzimas liberadas durante o processo de inflamação, tendo, portanto, efeito analgésico e antitérmico.

Uma revisão de literatura publicada na Revista Brasileira de Farmácia (RBF), mostrou que a nimesulida pode afetar o fígado de pacientes de forma severa e até fatal. Os pesquisadores acreditam que o consumo do medicamento está associado a alterações nos padrões de funcionamento das mitocôndrias – organelas que atuam na respiração celular -, levando à morte das células do fígado. Por causa dos efeitos colaterais, os médicos tentam evitar que o paciente use o remédio por muito tempo já que ele também pode afetar os rins. Continue lendo

DICLOFENACO DIETILAMÔNIO

O Diclofenaco Dietilamônio é um antinflamatório não esteroidal (AINE) encontrado comumente em formulações tópicas e de dispersão rápida como o spray.

Este fármaco possui ação antinflamatória e analgésica tendo como sua principal forma de uso o tratamento de alicio de inchaço e dor.


INDICAÇÕES:

Alívio da dor, da inflamação e do inchaço em: Continue lendo

DICLOFENACO POTÁSSICO: CONCEITOS FARMACOLÓGICOS

Pertencente ao grupo dos antinflamatórios não esteroidais (AINE), o Diclofenaco potássico tem ação analgésica e antinflamatório, com pouco efeito antipirético. É um derivado do ácido acético.

Seus modos de administração são:

Via oral – Administrar de preferência antes das refeições. Ingerir inteiro com algum líquido, sem mastigar.
Via retal: Recomenda-se colocar os supositórios após a evacuação fecal.
Via parenteral: a solução injetável é administrada por via intramuscular por injeção intraglútea profunda, no quadrante externo superior. Continue lendo

TENOXICAM – FARMACOLOGIA

O tenoxicam é um fármaco antinflamatório não-esteroide (AINE) com propriedades
antinflamatórias, analgésicas e antipiréticas, inibindo igualmente a agregação
plaquetária.

É um medicamento do grupo dos oxicanos indicado para o tratamento da dor leve ou moderada, especialmente em condições como a artrite reumatoide, osteoartrite, e outras enfermidades reumáticas.

O tenoxicam desenvolve uma potente atividade inibitória seletiva sobre a ciclooxigenase-2 (COX-2), tanto in vivo como in vitro na cascata biossintética de prostaglandinas. Este bloqueio seletivo e específico sobre a ciclooxigenase-2 proporciona um duplo benefício terapêutico ao conseguir, por um lado, uma notável atividade antinflamatória-analgésica em pacientes reumáticos e, por outro lado, uma excelente tolerância com efeitos gastrolesivos mínimos ou ulcerogênico. Continue lendo

ESTUDO SUGERE QUE IBUPROFENO PODE LEVA À INFERTILIDADE MASCULINA

Pesquisa feita na Dinamarca mostra que o uso de um antinflamatório comum, o ibuprofeno, pode levar à disfunção hormonal e à infertilidade em homens adultos jovens.

O estudo, publicado no “PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences)”, teve como primeiro autor o neurologista David Møbjerg Kristensena, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca.

A pesquisa estudou a função do analgésico em 31 homens saudáveis entre 18 e 35 anos que utilizaram 600 mg de ibuprofeno diariamente por duas semanas. Continue lendo

IBUPROFENO: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES FARMACOLÓGICAS

O Ibuprofeno é uma droga da classe dos antinflamatórios não esteroides (AINE), com ações antitérmicas (contra febre), analgésicas (contra dor) e antinflamatória.

Seu nome que deriva das iniciais do ácido isobutilpropanoicofenólico. Foi descoberto em 1961 por Stewart Adams e comercializado como Brufen. Encontra-se disponível sob diversas denominações comerciais, incluindo Advil, Motrin e Nurofen. Foi comercializado pela primeira vez em 1969 no Reino Unido e nos Estados Unidos em 1974.

Consta na lista de medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde, os medicamentos mais importantes necessários num sistema básico de saúde. Continue lendo

ETODOLACO: DERIVADO INDÓLICO

O fármaco Etodolaco é um antinflamatório não esteroidal (AINE), pertencente à família dos derivados indólicos, com ação analgésica e antipirética.

No Brasil, o Etodolaco é conhecido como Flancox®

Atualmente, são conhecidos em torno de 2000 alcaloides indólicos. Essa classe de compostos pode ser subdividida em dois grupos: o grupo maior com alcaloides conhecidos como indólicos monoterpênicos, e outro, como os demais alcaloides indólicos.

Os primeiros são, na maioria das vezes, derivados de triptamina e do monoterpeno (iridóide) secologanina. Apesar de quase todos os membros desse grupo serem derivados desses dois compostos, diversos rearranjos do esqueleto original resultaram numa enorme variedade estrutural, com grande numero de centros assimétricos. Continue lendo