SÍNDROME DE STEVENS-JOHNSON: O QUE É?

Essa síndrome caracteriza-se por reações mucocutâneas potencialmente fatais causadas por hipersensibilidade a fatores precipitantes diversos, como infecções por vírus, fungos, bactérias, afecções do tecido conjuntivo, tumores malignos, vacinas e diversos fármacos.

A síndrome de Stevens-Johnson é uma reação idiossincrática, ou seja, ocorre raramente, de forma aguda e imprevisível. Ela não é exatamente um efeito colateral do medicamento, pois a reação é imprevisível e ocorre não por um problema específico da droga, mas por uma característica do sistema imunológico do indivíduo.

A descamação da pele é o sinal característico desse quadro clínico. Na síndrome de Stevens-Johnson, há somente áreas pequenas de descamação da pele (que afetam menos de 10% do corpo). A descamação da pele envolve a camada superior inteira da pele (a epiderme), que às vezes descama em camadas de grandes áreas do corpo. Continue lendo

CUIDADO COM OS OLHOS NO INVERNO

Não é só o aparelho respiratório que sofre com as mudanças climáticas decorrentes da chegada do inverno. Nessa época os olhos também precisam de atenção redobrada, já que os registros de algumas doenças oculares podem triplicar na estação mais fria do ano.

Sentir os olhos coçar ou arder nesse período podem ser indícios de problemas como conjuntivite viral, síndrome do olho seco, alergia ou algo mais sério como glaucoma e catarata. Por isso, é importante saber quais as medidas de prevenção mais indicadas para manter a saúde ocular em dia em qualquer período do ano.

 Veja abaixo algumas das principais recomendações:


Continue lendo

ECZEMA ATÓPICO: INFORMAÇÕES

O eczema é uma doença inflamatória crônica da pele que apresenta uma evolução cíclica com períodos de melhora e piora. A etiologia não é exatamente conhecida, sendo multifatorial. Observa-se um caráter familiar e frequentemente está associada à asma ou bronquite e rinite alérgica.

Não é uma doença contagiosa e a sua frequência na população vem aumentando gradativamente, principalmente nas áreas urbanas, chegando até 20% em algumas localidades.   Qualquer pessoa pode ter eczema, mas é mais comum na faixa que vai de um recém-nascido até um jovem adulto.

O eczema atópico, termo utilizado como sinônimo da dermatite atópica, é sua manifestação mais comum e caracteriza-se por lesões inflamadas da pele, avermelhadas, que coçam, descamam e, às vezes, ficam úmidas.

Inicia-se no primeiro ano de vida, na maioria dos casos, tem uma evolução crônica e cerca de 60% das crianças apresentam redução ou desaparecimento das lesões antes da adolescência. No bebê as lesões predominam na face e nas superfícies externas dos braços e pernas.

Continue lendo

CLORIDRATO DE HIDROXIZINA: CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

A hidroxizina é um composto de ação prolongada largamente empregado nas alergias cutâneas. Apresenta considerável ação depressora central podendo contribuir para sua pronunciada atividade antipruriginosa. A absorção a partir do trato gastrointestinal é boa, e seguindo-se à administração oral, os picos de concentração plasmática são atingidos em duas a três horas. A droga se distribui largamente por todo o organismo.

Apresenta-se em forma de comprimidos com embalagens com 12, 20 ou 30 comprimidos, de 25 mg e em forma de solução oral  nas embalagem contendo um frasco de 100, 120 ou 150 ml, de 2,0 mg/ml.

A Hidroxizina é indicada no tratamento da dermatite atópica e urticária. É um Anti-histamínico derivado da piperazina, inibidor dos receptores H1 da histamina. Seus nomes comerciais são Hixizine®, Prurizin® e Marax®, Atarax® e genéricos.

Continue lendo

CHOQUE ANAFILÁTICO

O choque anafilático ou anafilaxia é a forma mais grave de reação de hipersensibilidade (alergia). É potencialmente fatal.

Toda alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a alguma substância estranha ao nosso organismo. Os sintomas comuns das alergias não são causados primariamente por comidas, picadas de insetos, pólen, drogas ou qualquer outra substância alérgica; os sintomas são causados pela ação das células de defesa chamadas de mastócitos e basófilos, pelo anticorpo do tipo IgE e pela grande liberação de uma substância chamada histamina.

Na anafilaxia os sinais e sintomas podem ter início após segundos à exposição ao agente ou até uma hora depois. O quadro típico é o de colapso cardiorrespiratório em poucos minutos. A avaliação e o tratamento imediatos são fundamentais para evitar a morte.

Continue lendo

RINITE ALÉRGICA

A rinite alérgica é uma inflamação da mucosa que reveste o nariz que é causada por uma reação alérgica. Geralmente, a rinite alérgica aparece após estar em contato com substâncias alérgicas.

A rinite alérgica surge quando uma pessoa alérgica inala alguma partícula que estimula o seu sistema imune. Pessoas alérgicas ao  são aquelas que ao entrar contato com um alérgeno pela primeira vez produzem em grande quantidade um anticorpo chamado IgE. A partir deste momento, a mucosa nasal começa a ficar povoada com uma célula do sistema imune chamada mastócito, que possui vários anticorpos IgE em sua superfície. Essa é uma resposta normal do organismo, as substancias capazes que estimular essa resposta, no indivíduo. Assim que esta pessoa entra novamente em contato com o mesmo alérgeno, os anticorpos IgE rapidamente o capturam, ativando os mastócitos que liberam vários mediadores químicos para destruir o invasor, sendo o mais importante a histamina, responsável pelos principais sintomas da rinite.

Continue lendo

ALERGIA EM BEBÊS: PRINCIPAIS ORIENTAÇÕES

As alergias ou reações de hipersensibilidade, são uma resposta exagerada do sistema imunológico, ou seja, uma reação alérgica é aquela que acontece quando o sistema imunológico reage de forma exacerbada a alguma substância com que o organismo entrou em contato, seja ele por ingestão ou uso no corpo.

Isso pode acontecer por meio de bolinhas vermelhas na pele, espirros ou até mesmo dificuldade para respirar, dependendo do grau de gravidade do problema.

Bebês e crianças pequenas estão mais propensas a desenvolverem alergias, uma vez que estão entrando em contato com o mundo externo a pouco tempo.

Para cuidar melhor dos seus filhos, veja abaixo algumas orientações importantes sobre alergias em bebês e crianças:

Continue lendo