“BLACKOUT” ALCOÓLICO, O QUE É?

De acordo com uma matéria publicada pela BBC News, o blackout alcoólico é  a amnésia provocada pelo excesso de álcool, que ocorre quando o cérebro se torna incapaz de registar os eventos experimentados durante uma bebedeira.

Tal acontece, porque o hipocampo ,área do cérebro que tem um papel crucial em consolidar as memórias do cotidiano, é impedido de funcionar corretamente  pelo álcool, explica o Instituto Nacional de Abuso do Álcool e de Alcoolismo dos EUA (NIAAA).

Por sua vez, esse processo leva o indivíduo a ter falhas no sistema de registo cerebral. Continue lendo

POR QUE O ABUSO DE ÁLCOOL AFETA MAIS AS MULHERES QUE OS HOMENS?

Os homens costumavam ser os grandes consumidores de bebida alcoólica da sociedade ocidental. Nos anos 1960, não faltam doses de uísque no escritório, almoços regados a coquetéis e rodadas de drinques após o expediente. Naquela época, o bar era um lugar em que poucas mulheres se atreviam a pisar.

No entanto, epidemiologistas observam que o aumento das propagandas de bebida direcionadas às mulheres e as mudanças nos papéis atribuídos aos gêneros alteraram gradativamente esse cenário.

No geral, os homens ainda são quase duas vezes mais propensos a consumir álcool em excesso do que as mulheres. Mas isso não se aplica, especificamente, aos mais jovens. Na verdade, as mulheres nascidas entre 1991 e 2000 bebem tanto quanto os homens da mesma geração – e podem vir a superá-los. Continue lendo

RESSACA – TEM COMO EVITAR?

Uma ressaca é um conjunto de sinais e sintomas desagradáveis que normalmente se desenvolvem depois que uma pessoa tenha bebido muito álcool. Ressacas frequentes também estão associadas a um mau desempenho geral e a conflitos no trabalho. Como regra, quanto mais álcool a pessoa beber, mais provável é que tenha uma ressaca no dia seguinte.

As ressacas são causadas quando a pessoa ingere uma quantidade excessiva de álcool. As doses da bebida alcoólica necessárias para desencadear uma ressaca são muito variáveis de uma pessoa para outra. Para alguns, pouca bebida já é o bastante para ter uma ressaca, enquanto outras podem beber pesadamente e escapar dela.

Qualquer pessoa pode experimentar uma ressaca, mas alguns fatores podem tornar as pessoas mais susceptíveis a tê-las: (1) variação genética; (2) beber com o estômago vazio; (3) associação do álcool com o fumo ou outras drogas; (4) não ter dormido bem; (5) ter história familiar de alcoolismo; (6) ingerir bebidas alcoólicas de cor mais escura. Continue lendo

ÁLCOOL E MEDICAMENTOS – PERIGO REAL

O consumo de álcool per capita no Brasil  chegou a 8,9 litros em 2016 e superou a média internacional, de 6,4 litros por pessoa. Com isso, o País figura na 49.ª posição do ranking entre os 193 avaliados. Os dados foram divulgados ontem pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A OMS não vê o consumo do álcool em si como um problema, mas considera que o uso excessivo e a falta de controle em certas situações podem se transformar em ameaça.

Associada a essa situação temos uma alta crescente do uso de medicamentos no Brasil, este que em 2016 chegou à marca de 4,5 bilhões de medicamentos vendidos no Brasil, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA . Continue lendo

RESSACA: ENTENDA

A ressaca, como é conhecida popularmente, também pode ser chamada de Veisalgia e descreve a soma dos efeitos fisiológicos desagradáveis que se seguem após uma grande ingestão de bebida alcoólica.

As características comumente relatadas para o estado incluem dores de cabeça, náuseas, sensibilidade a luz e a ruídos, letargia, diarreia, disfonia, sudorese e sede.

Embora a ressaca possa ser sofrida a qualquer tempo, geralmente aparece pela manhã após uma noite de bebedeira. Além dos sintomas físicos, uma ressaca também pode incluir sintomas psicológicos, como depressão e ansiedade. Continue lendo

PANCREATITE AGUDA

A pancreatite é um processo inflamatório do pâncreas, que pode ser aguda ou crônica, de variadas causas.

O processo inflamatório pancreático, de aparecimento súbito (agudo) e etiologia variada, geralmente é acompanhada de importante comprometimento sistêmico. Cessada a causa que desencadeou a inflamação, a enfermidade poderá evoluir para a regeneração do órgão, com recuperação clínica, anatômica e fisiológica ou, então, marchar para sequelas decorrentes da cicatrização do parênquima. Em determinados casos pode provocar a morte.

O pâncreas é uma glândula grande situada atrás do estômago e perto do duodeno – a primeira parte do intestino delgado. Ele secreta sucos digestivos, ou enzimas, para o duodeno através de um tubo chamado ducto pancreático. Continue lendo

HEPATITE ALCOÓLICA

A hepatite se trata de qualquer inflamação no fígado, aguda ou crônica, que pode ser causada por infecções virais ou bacterianas, abuso de álcool, medicamentos, drogas, doenças hereditárias e doenças autoimunes.

Geralmente causada pelo consumo excessivo e abusivo de álcool durante um período prolongado, a hepatite alcoólica leva a uma inflamação e inchaço do fígado que começa a desregular as funções normais desse órgão.

Pessoas do sexo feminino estão mais suscetíveis a adquirir a doença, uma vez que o fígado nas mulheres tem menor capacidade de metabolizar o álcool.

Podemos citar 3 tipos de danos ao fígado causada por álcool, são elas: acúmulo de gordura, inflamação e cirrose (cicatrizes no fígado). Continue lendo