DEPENDÊNCIA QUÍMICA A OPIÓIDES: CONSIDERAÇÕES

Os opioides são os fármacos de escolha para o alívio da dor aguda e dor oncológica intensa. Também têm sido utilizados no tratamento de diversas síndromes dolorosas crônicas não oncológicas.

Embora seu uso para dor crônica não oncológica seja controverso, há evidências crescentes benéficas em algumas populações de pacientes. O grande temor do uso prolongado de opioides para esses pacientes é que, apesar de promover excelente efeito analgésico, há aumento substancial do risco da principal complicação que é o vício.

Para reduzir o risco e obter melhor efeito dos opioides é necessário que os profissionais administrem o medicamento de forma consciente, com indicações precisas, fazendo avaliações periódicas. O uso prolongado de opioides provoca inúmeras alterações celulares responsáveis pelo desenvolvimento de três fenômenos clínicos: Continue lendo

DESMAME DE MEDICAMENTOS

O desmame de medicamentos é a redução gradual de uma dose medicamentosa com a finalidade de retirada do uso do medicamento pelo paciente.

O desmame consiste em estratégias psicoterapêuticas e psicomedicamentosas usadas para minimizar os efeitos de descontinuação de um remédio.

Várias substâncias disponíveis de forma lícitas, que são prescritas por médicos e possuem grande venda ao publico, no cenário mundial, podem causar dependência química e consequentemente necessitam do desmame medicamentoso. Dentre elas podemos citar Antidepressivos, Hipnóticos sedativos como os Benzodiazepínicos, narcóticos, barbitúricos, hormônios, corticoides, opioides e anestésicos.

Medicamentos como os citados acima tendem a causar dependência química do organismo, quando usados por um longo prazo, por isso é sempre necessário uma avaliação criteriosa para a escolha e adoção destes medicamentos. Continue lendo

ABUSO DE MEDICAMENTOS: AUTOMEDICAÇÃO NO BRASIL

No geral, quando nós pensamos em abuso de medicamentos, estamos sugestionados a lembrar de substâncias que mexem com a química do cérebro, tais como os antidepressivos, benzodiazepínicos, depressores do sistema nervoso central e etc, uma vez que esses têm tendência a criação de dependência física ou psicológica, porém o perigo não está somente nesses medicamentos. Aquele simples analgésico que se tem em casa, pode ser uma droga de abuso usada por pessoas que não têm consciência de suas consequências.

A maioria dos brasileiros toma remédios sem prescrição médica, colocando a vida em risco. A prática chamada como automedicação é praticada por milhares de pessoas, mesmo aquelas que não têm consciência de que isso pode lhe trazer riscos à saúde.

O problema da automedicação é uma realidade no país. A maioria dos lares tem um pequeno estoque de medicamentos usados comumente para aliviar os sintomas de dor e febre. Porém, o uso desses medicamentos que, aparentemente, não fazem mal algum, pode trazer sérios riscos à saúde. Para os especialistas, os remédios que podem ser comprados sem prescrição médica são mais usados do que as drogas ilícitas. Continue lendo