PROBIÓTICOS

Os probióticos são os microrganismos vivos capazes de melhorar o equilíbrio microbiano intestinal produzindo efeitos benéficos à saúde do indivíduo.  A definição de probiótico, no Brasil consta na RDC 2/02.

A Organização Mundial de Saúde define probióticos como “organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde do hospedeiro”

O conceito de probiótico foi introduzido no início do século XX, quando o prêmio Nobel Elie Metchnikoff, conhecido como o “pai dos probióticos”, propôs que o consumo de micro-organismos benéficos poderia melhorar a saúde das pessoas. Os pesquisadores continuaram a investigar essa ideia e o termo “probióticos” – que significa “pró vida” – entrou em vigor.

Embora as pessoas frequentemente pensem em bactérias e outros micro-organismos como “germes” prejudiciais, muitos micro-organismos são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Entre os probióticos mais conhecidos e disponíveis no comércio estão os leites fermentados e os iogurtes naturais. Mas também há probióticos na forma de pó ou cápsulas. Também são probióticos o kefir e o kombucha, em geral produzidos e distribuídos artesanalmente, no Brasil.

Os probióticos podem conter uma variedade de micro-organismos. Os mais comuns são as bactérias que pertencem aos grupos chamados Lactobacillus e Bifidobacterium. Cada um desses dois grandes grupos inclui muitos tipos de bactérias. Outras bactérias probióticas são leveduras como Saccharomyces boulardii.

 


EFICÁCIA DOS PROBIÓTICOS

Os estudos, no entanto, ainda não são conclusivos. Há evidências de que alguns probióticos são úteis na prevenção da diarreia causada por infecções e antibióticos e na melhora dos sintomas da síndrome do intestino irritável. Mas faltam informações sobre doses específicas e também sobre quais os melhores probióticos para cada tipo de doença.

Como os probióticos não são todos iguais, se um tipo específico de Lactobacillus ajuda na prevenção de uma doença, por exemplo, isso não significa necessariamente que outro tipo de Lactobacillus ou qualquer um dos probióticos Bifidobacterium fariam a mesma coisa.

Mas o que se tem certeza é que os microorganismos do intestino são fundamentais para o funcionamento do organismo. Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia concluiu, inclusive, que os microorganismos presentes no intestino são capazes de afetar o humor, o comportamento e até mesmo o risco de doenças neurológicas, como o mal de Parkinson.

Os probióticos aprovados até o momento na Anvisa para alimentos constam no portal da Anvisa, conforme segue.

PROBIÓTICOS

Lactobacillus acidophilus 
Lactobacillus casei shirota 
Lactobacillus casei variedade rhamnosus 
Lactobacillus casei variedade defensis 
Lactobacillus paracasei
Lactococcus lactis
Bifidobacterium bifidum 
Bifidobacterium animallis (incluindo a subespécie B. lactis) 
Bifidobacterium longum 
Enterococcus faecium

 


REFERÊNCIA:

– Agência de Vigilância Sanitária – ANVISA  [Probióticos]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/resultado-de-busca?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=2864062&_101_type=content&_101_groupId=219201&_101_urlTitle=probioticos&inheritRedirect=true

– eCycle [O que são probióticos]. Disponível em: https://www.ecycle.com.br/6625-probioticos.html

 

Fonte:

Schlundt, Jorgen. «Health and Nutritional Properties of Probiotics in Food including Powder Milk with Live Lactic Acid Bacteria» (PDF). Report of a Joint FAO/WHO Expert Consultation on Evaluation of Health and Nutritional Properties of Probiotics in Food Including Powder Milk with Live Lactic Acid Bacteria. FAO / WHO. Consultado em 25 Abril 2013

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *