POR QUE NÃO SE DEVE REUTILIZAR O PRESERVATIVO?

Apensar de muitos modelos, distribuídos no mundo, de preservativo (camisinha) tanto masculino quanto feminino, não trazerem em sua embalagem a descrição de uso único. Este produto jamais deve ser reutilizado, ou mesmo utilizado quando a embalagem estiver danificada ou violada.

Sendo assim a camisinha masculina e a camisinha feminina são de uso único e jamais devem ser reutilizadas.

A maioria dos preservativos é feita de látex e pode conter lubrificantes, espermicidas e/ou retardantes que alteram sua composição química. O modo de fabricação é o mesmo independentemente da matéria-prima: a borracha passa por um processo de vulcanização (em que sofre uma injeção de calor e pressão) para ficar mais resistente. Depois, recebe alguns produtos químicos que endurecem ainda mais o elástico e reduzem alguns de seus componentes alérgicos. Por fim, a borracha é moldada no formato tradicional em uma forma de vidro e passa por um banho de talco e sílica antes de ser finalmente embalada e despachada.

Também é importante salientar que toda camisinha tem um prazo de validade que deve ser respeitado. Isso porque fora do prazo à borracha da qual é feita o produto pode ressecar e causas rompimentos e perder sua eficácia.


MAS PORQUE NÃO SE DEVE LAVAR OU REUTILIZAR O PRESERVATIVO?

Por ser um material que normalmente é feito de látex (borracha), este produto em contato com a água perde a elasticidade e sofre ressecamento ou ficar seco, após contato com água, por isso nunca se deve lavar o preservativo ou mesmo utilizá-lo em baixo d’água, caso não seja uma recomendação do fabricante.

O caso do uso do preservativo em piscinas, banheiras, jacuzzi, lagos e rios é sempre algo bem curioso, pois em contato com água que contiver substâncias químicas, como cloro, ou aditivos, tais como sabão, óleo ou espuma para banho, isso pode afetar o látex. Assim como águas muito barrentas e ricas e ferro de rios e lagos.

Também jamais se deve colocar o preservativo em baixo d’água. I ideal seria coloca-lo fora da água e evitar sua exposição à água quando estiver submerso, a menos que ela possua características especiais para isso.

Sendo assim, a pessoa que manipula o preservativo usado, entra em contato direto com fluidos penianos e vaginais ou anais, o que a expõe a doenças.

Reutilizar uma camisinha aumenta as chances de que ela se rompa. E lavá-la com água e sabão não é a solução para livrá-la totalmente de vírus, bactérias ou esperma.

 

 



Farmacêuticos do Cerrado

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *