PÍLULA DO DIA SEGUINTE – QUANDO USAR?

A pílula do dia seguinte é um contraceptivo de emergência, portanto deve ser utilizada somente em último caso. Nos Estados Unidos a chamam de plano B.

Ela deve ser usada quando, por exemplo, a camisinha estoura no momento da ejaculação. Ou então quando a mulher se esquece de tomar a pílula anticoncepcional. Em casos de estupro ela também é amplamente utilizada. Portanto, não se deve fazer de seu uso um hábito nem tomar mais que uma dose por mês.

É importante ressaltar a importância desse medicamento na vida das mulheres, pois ele tem diminuído em mais de 50% a taxa de gravidez indesejada e evitado milhares de abortamentos.

Veja abaixo alguns pontos importantes sobre a pílula do dia seguinte:


 Quando posso usar a pílula do dia seguinte?

O ideal é que a mulher tome a pílula o mais próximo possível da relação sexual desprotegida. Mas ela tem até 3 dias (72 horas) para fazer isso.

O medicamento é vendido em dose única e em dois comprimidos. Solicitamos que a mulher tome um comprimido e espere 12 horas para tomar o outro. Entretanto, para não haver esquecimento, ela pode tomar os dois de uma vez também.


Qual é a sua eficácia?

Se for tomada no primeiro dia, é de 95%. No segundo dia após a transa, cai para 85%. Portanto, quanto antes tomar a pílula do dia seguinte, melhor. Não é preciso receita médica para comprá-la.


Como essa pílula age no organismo?

“Ela impede ou retarda a liberação de um óvulo do ovário, impedindo a fecundação. Outro efeito é ‘atrapalhar’ a fixação do óvulo fecundado no útero. Além disso, a pílula do dia seguinte modifica o muco cervical, dificultando o transporte dos espermatozoides em direção ao óvulo.”


Quais seus efeitos colaterais?

Os efeitos variam de pessoa para pessoa e podem durar horas ou alguns dias. Nos casos mais comuns, provoca um pequeno sangramento escuro e desregula a menstruação por cerca de três meses, causando atrasos ou adiantamentos no ciclo. Dor de cabeça, enjoo e dor nas mamas também podem ocorrer.


O que acontece caso a mulher tome a pílula com uma frequência de três vezes no mesmo mês, por exemplo?

Se for usada dessa forma, a eficácia da pílula do dia seguinte diminui bastante. A menstruação fica bem desregulada e as chances de gravidez aumentam muito.


A pílula do dia seguinte faz efeito por quanto tempo?

O contraceptivo de emergência só impede a gravidez relacionada ao ato sexual que aconteceu antes de ele ser ingerido. Se houver ralação sexual depois, é preciso se proteger.


Existe idade mínima para usá-la?

Não. Qualquer mulher em idade reprodutiva pode utilizar. Mas nunca faça uso sem orientação profissional adequada.


O uso com outro remédio pode diminuir sua eficácia?

Se for utilizada com medicamentos que interferem na ação dos hormônios presentes em sua fórmula, a eficácia pode ser reduzida e causar falhas. Dentre esses medicamentos estão alguns antibióticos (tetraciclina, ampicilina, oxacilina, doxiciclina) e anticonvulsivantes. Por isso, o ideal é avisar seu ginecologista sobre os remédios que utiliza.


Quanto tempo depois de tomar a pílula do dia seguinte posso voltar para a pílula de uso diário?

O ideal é ser avaliada por um ginecologista antes. A nova cartela só deve ser iniciada quando a menstruação descer de novo.


Qual a diferença entre a pílula do dia seguinte e o anticoncepcional que se toma todo dia?

A pílula do dia seguinte é um método de exceção, ou seja, deve ser tomada só em caso de emergência. Para mulheres com vida sexual ativa, o ideal é usar um método de barreira (camisinha masculina ou feminina) associado a um anticoncepcional hormonal via oral ou injetável.

O contraceptivo de emergência pode falhar e causar irregularidade menstrual se for utilizado muitas vezes. Já o anticoncepcional de uso diário tende a regularizar a menstruação. Se tomado corretamente, apresenta índices de falha extremamente baixos.


Fonte:

  1. – Erica Mantelli, Ginecologista
  2. – Drauzio Varella

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *