PARAPSORÍASE

A etiologia da parapsoríase ainda é desconhecida. Estudos mostraram, no entanto, que essa doença provavelmente representa diferentes estágios de um distúrbio linfoproliferativo, variando de dermatite crônica a linfoma cutâneo de células T (LCCT).

A parapsoríase é uma doença semelhante à psoríase. Ambas as doenças causam a formação de placas descamativas na pele. A diferença entre as duas doenças é que na parapsoríase as placas são mais finas do que na forma mais típica da psoríase.

Há duas formas de parapsoríase:

  • Forma de placas pequenas
  • Forma de placas grandes

A parapsoríase de placas pequenas geralmente não é cancerosa (ou seja, é benigna). Em casos extremamente raros, a parapsoríase de placas pequenas se transforma em linfoma cutâneo de células T (LCCT), que é um tipo de câncer de pele causado por tipos específicos de glóbulos brancos chamados linfócitos.

Entre pessoas com parapsoríase de placas grandes, 10% desenvolverão LCCT a cada dez anos.


SINTOMAS

As placas geralmente não causam sintomas. Normalmente, elas têm o aspecto de placas finas, descamativas, esmaecidas e rosadas e algumas podem ter um aspecto ligeiramente enrugado ou afinado.

Na forma de placas pequenas, estas têm menos de 5 cm de diâmetro. Na forma de placas grandes, estas têm mais de 5 cm de diâmetro.

Às vezes as placas de parapsoríase de células pequenas se desenvolvem em áreas da pele por onde passam nervos específicos que saem da coluna vertebral, principalmente nos lados das costas e no abdômen. Essas placas são chamadas placas digitadas pois se parecem com dedos (dígitos) e podem ter mais de 5 cm. Essas placas raramente se transformam em LCCT.

A progressão de ambas as formas é imprevisível. As pessoas passam por acompanhamentos e biópsias periódicas para determinar se correm o risco de desenvolverem LCCT.


TRATAMENTO

O tratamento da parapsoríase de placas pequenas pode não ser necessário, porém poderá incluir o uso de hidratantes de pele, preparados à base de alcatrão ou corticosteroides aplicados na pele e a fototerapia (explosição a luz ultravioleta) ou uma combinação dos dois.

O tratamento de parapsoríase de placas grandes é a fototerapia (ultravioleta B de banda estreita) ou corticosteroides aplicados na pele.

 



REFERÊNCIAS

– MSD Manuals, Versão Saúde para a família [Parapsoríase]. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-da-pele/psor%C3%ADase-e-dist%C3%BArbios-descamativos/parapsor%C3%ADase

Fonte:

DUARTE, Ida Alzira Gomes et al . An evaluation of the treatment of parapsoriasis with phototherapy. An. Bras. Dermatol.,  Rio de Janeiro ,  v. 88, n. 2, p. 306-308,  Apr.  2013 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962013000200306&lng=en&nrm=iso>. access on  09  Aug.  2019.  http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962013000200028.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *