OSELTAMIVIR (Tamiflu): CONSIDERAÇÕES FARMACOLÓGICAS

O Fosfato de oseltamivir é um pró-fármaco  que possui atividade antiviral, onde após metabolização pelo fígado e trato gastrintestinal é transformado em carboxilato de oseltamivir e assim torna-se seletivo contra o vírus influenza dos tipos A e B.

(AP Photo/Michael Probst/file)

Foi classificado na lista C1 das outras substâncias sujeitas a controle especial da ANVISA, sujeita a receita de controle especial em duas vias, mas em 2012 a restrição foi removida pela RDC 39/2012 e o medicamento é vendido sem retenção de receita.

É um medicamento produzido pelos laboratórios Roche sob o nome comercial Tamiflu®. Este medicamento foi o primeiro a ser usado na pandemia de gripe A que se iniciou em 2009 no México.

O Tamiflu® recebeu aprovação do FDA em dezembro de 2012, para o tratamento da gripe em crianças com no mínimo 2 semanas de idade. O estudo para a aprovação do medicamento envolveu 136 crianças e possui restrição na administração que é permitida por apenas dois dias.

Porém muito antes disso, em agosto de 2009 o Hospital Universitário de Brasília conseguiu produzir uma versão sob a forma farmacêutica xarope do oseltamivir, especialmente para crianças, que tem por via de regra dificuldades em ingerir comprimidos. Tem indicação para crianças menores de 12 anos com suspeita de Influenza A.


INDICAÇÃO:

O medicamento Tamiflu® é indicado para tratamento e profilaxia de gripe em adultos e crianças com idade superior a 1 ano. Este medicamento deve ser utilizado já no início dos sintomas da Influenza do tipo A e B, por possuir a capacidade de reduzir a proliferação do vírus. O Tamiflu® não substitui a vacina contra a gripe.


CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS:

O fosfato de oseltamivir é um pró-fármaco do carboxilato de oseltamivir, inibidor potente e seletivo das enzimas neuraminidase do vírus da gripe, que são glicoproteínas encontradas na superfície do vírion. A atividade da enzima viral neuraminidase é importante principalmente para a liberação de partículas virais recém formadas nas células infectadas e para a posterior disseminação do vírus infeccioso no organismo.

Sugere-se também que a neuraminidase pode desempenhar um papel importante na entrada do vírus nas células não infectadas.

O carboxilato de oseltamivir inibe a neuraminidase dos dois tipos de vírus da gripe: influenza A e B. As concentrações do carboxilato de oseltamivir necessárias para inibir a atividade enzimática em 50%, encontramse na faixa nanomolar inferior. O carboxilato de oseltamivir também inibe a infecção e a replicação in vitro do vírus da gripe e inibe a replicação e a patogenicidade in vivo do mesmo

O carboxilato de oseltamivir reduz a proliferação dos dois vírus (influenza A e B) pela inibição da liberação de vírus infecciosos das células infectadas.

……………………………………………………………

Farmacocinética

Estudos em gripe adquirida natural e experimentalmente, o tratamento com Tamiflu® não prejudicou a resposta humoral normal. Não é esperado que o tratamento com Tamiflu® afete a resposta dos anticorpos à vacina de vírus inativado.

Assim, conclusões a partir da investigação da farmacocinética clínica do oseltamivir em crianças, incluem que não existem diferenças aparentes entre adultos e crianças na conversão de oseltamivir em seu metabólito ativo por meio de esterases hepáticas.

……………………………………………………………

Absorção

O oseltamivir é absorvido rapidamente no trato gastrintestinal após administração oral de fosfato de oseltamivir, sendo convertido extensivamente pelas esterases intestinais e/ou hepáticas para o metabólito ativo. As concentrações plasmáticas do metabólito ativo são mensuráveis após 30 minutos, atingindo níveis máximos em 2 ou 3 horas após sua administração, excedendo substancialmente (> 20 vezes) aqueles do pró-fármaco. Pelo menos 75% de uma dose oral atingem a circulação sistêmica como metabólito ativo.

A exposição ao pró- fármaco é menor que 5% em relação ao metabólito ativo. As concentrações plasmáticas do metabólito ativo são proporcionais à dose e não são afetadas pela coadministração com alimentos.

……………………………………………………………

Distribuição

O volume médio de distribuição do metabólito ativo em humanos é de, aproximadamente, 23 litros. A porção ativa atinge todos os sítios chave da infecção por gripe, como demonstrado pelos estudos em furões, ratos e coelhos. Nesses estudos, as concentrações antivirais de metabólitos ativos foram encontradas no pulmão, no lavado bronquioalveolar, na mucosa nasal, na orelha média e na traqueia após administração oral de doses de fosfato de oseltamivir.

A ligação do metabólito ativo às proteínas plasmáticas é desprezível (aproximadamente 3%). A ligação do pró- fármaco às proteínas plasmáticas é de 42%. Esses níveis são insuficientes para causar interações medicamentosas significativas.

……………………………………………………………

Metabolismo

O fosfato de oseltamivir é extensivamente convertido para o metabólito ativo pelas esterases localizadas predominantemente no fígado. Nem o oseltamivir nem o metabólito ativo são substratos ou inibidores das principais isoformas do citocromo P450.

……………………………………………………………

Eliminação

O oseltamivir absorvido é eliminado principalmente (> 90%) pela conversão para o metabólito ativo. O metabólito ativo não é metabolizado posteriormente, sendo eliminado na urina. As concentrações plasmáticas de pico do metabólito ativo diminuem com a meia-vida de 6 a 10 horas na maioria dos pacientes.

O fármaco ativo é eliminado completamente (> 99%) por excreção renal. A depuração renal (18,8 L/h) excede a taxa de filtração glomerular (7,5 L/h), indicando que, além da filtração glomerular, ocorre secreção tubular. Menos de 20% da dose oral radiomarcada é eliminada nas fezes.


CONTRAINDICAÇÕES:

Este medicamento é contraindicado para menores de 1 ano de idade.

Gravidez

Categoria de risco na gravidez: B. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.


INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

As informações derivadas da farmacologia e dos estudos de farmacocinética do fosfato de oseltamivir sugerem que as interações medicamentosas clinicamente significativas são improváveis.

 



REFERÊNCIAS:

– Bulario Eletrônico Anvisa [Tamiflu®]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmResultado.asp#

– Bula Profissional Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A [Tamiflu – Fosfato de Oseltamivir]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=17950932017&pIdAnexo=9071478

– EBC Agência Brasil [Versão em Xarope do Tamiflu para crianças já está sendo distribuída no DF]. Disponível em: http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticias/2009/08/21/materia.2009-08-21.9410211058/view

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *