HIV: CARGA VIRAL

A quantidade de HIV no sangue (especificamente o número de cópias de RNA do HIV) chama-se carga viral.

A carga viral representa a rapidez com que o HIV se está reproduzindo. Quando as pessoas são infectadas, a carga viral aumenta rapidamente. Em seguida, depois de cerca de três a seis meses, mesmo sem tratamento, ela cai para um nível mais baixo, o qual permanece constante, chamado de ponto de regulação. Este nível varia amplamente de pessoa a pessoa, de apenas algumas centenas a mais de um milhão de cópias por microlitro de sangue.

A carga viral também indica

  • O quanto a infecção é contagiosa
  • Com que rapidez a contagem de CD4 tem probabilidade de diminuir
  • Com que rapidez os sintomas têm probabilidade de surgir

Quanto maior o ponto de regulação, mais rapidamente a contagem de CD4 diminui para os níveis baixos (menos de 200) que aumentam o risco de infecções oportunistas, mesmo em pessoas sem sintomas.

Durante um tratamento bem-sucedido, a carga viral diminui para níveis muito baixos ou indetectáveis (menos de cerca de 20 a 40 cópias por microlitro de sangue). Porém, o HIV inativo (latente) ainda está presente nas células e, se o tratamento for interrompido, o HIV começa a se replicar e a carga viral aumenta.

Um aumento na carga viral durante o tratamento pode indicar o seguinte:

  • O HIV desenvolveu resistência ao tratamento com medicamentos.
  • A pessoa não está tomando os medicamentos receitados.
  • De ambos

CARGA VIRAL INDETECTÁVEL

O objetivo da terapia antirretroviral é conseguir que o paciente tenha em seus exames, uma carga viral indetectável.

Ter a carga viral indetectável não significa dizer que o paciente que outrora infectado pelo HIV se encontra livre do vírus, apenas diz que a quantidade presente é tão baixa a ponto de não ser detectável pelos métodos sorológicos atuais.

É consenso entre a comunidade internacional que o paciente que tem carga viral indetectável se torna intransmissível do HIV, ou seja, que ele não é capaz de infectar outra pessoa por meio de relação sexual desprotegida, por exemplo.

A implicação positiva desse quadro ao paciente diz respeito a libertação de estigmas da doença, tais como ser transmissor de uma doença incurável e estar condenado a morte.

Por outro lado, o paciente com carga indetectável do HIV pode também se descuidar e manter relações sexuais desprotegidas que podem leva-lo ao adquirir outras infecções. O descuido com a medicação e outras infecções podem trazer a tona a carga viral reduzida, causando prejuízo ao paciente e companheiro (a).

 



FONTE:

– MSD Manuals, Versão Saúde para a Família [Infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Adquirida (HIV)]. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/infec%C3%A7%C3%B5es/infec%C3%A7%C3%A3o-pelo-v%C3%ADrus-da-imunodefici%C3%AAncia-humana-hiv/infec%C3%A7%C3%A3o-pelo-v%C3%ADrus-da-imunodefici%C3%AAncia-humana-hiv

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *