FIOCRUZ ESCLARECE AS DÚVIDAS SOBRE AS FALSAS NOTÍCAS DA FEBRE AMARELA

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituto de pesquisas na área de saúde, publica diariamente notícias para esclarecimento de notícias falsas referentes à vacinação contra febre amarela.

Alguns dos pontos de maior dúvida da população são sobre a efetividade da vacina, ameaça dos macacos e se ela pode causar outras doenças. Pesquisadores da Fiocruz realizaram uma palestra, disponível online, em que desmentem algumas das principais notícias falsas.

Link Palestra Fiocruz

Veja abaixo alguns dos esclarecimentos:

MACACOS TRANSMITEM FEBRE AMARELA
De acordo com o pesquisador Ricardo Lourenço, chefe do Laboratório de Mosquitos Transmissores de Hematozoários do Instituto Oswaldo Cruz, informações de que o macaco é responsável por transmitir a febre amarela, da mesma maneira como transmite HIV ou ebola, é totalmente falsa.

– Os primatas são extremamente importantes para sabermos se há presença do vírus na região. Quando eles adoecem, alertam os agentes de saúde de que a área precisa de atenção e eles podem fazer um trabalho eficaz – informou.

 

A VACINA PROVOCA OUTRAS DOENÇAS
O pesquisador Igor Sacramento, do Laboratório de Comunicação e Saúde, estuda as fake news na área da saúde e esclarece que não existe nenhum estudo comprovado relacionando a febre amarela a qualquer outra doença.

– As fake news estão ficando mais sofisticadas, com cara de notícia verdadeira, edição profissional, usando estudos verdadeiros como base. Uma falava que a vacina podia provocar autismo. A Fiocruz desmentiu essa alegação – relembrou.

 

CONSPIRAÇÃO PARA DIMINUIR A POPULAÇÃO MUNDIAL
Sacramento esclarece que qualquer informação que fala que a febre amarela não existe ou é uma conspiração da indústria farmacêutica está prejudicando o entendimento e, mais importante, a prevenção das pessoas.

– Recebi um vídeo por WhatsApp da minha sogra. Ele se chama A Farsa das Vacinas e, numa linguagem mística e alarmista, faz associação entre a vacinação e o objetivo de reduzir a população mundial pelos “donos do mundo” – contou. Ele também explicou como se prevenir das mentiras.

– Uma questão importante – para além do conteúdo – é a forma. Alguns vídeos que eu mesmo recebi utilizam uma linguagem factual, de documentário ou jornalismo. Acionar essas formas canônicas de circulação de um discurso socialmente valorado como verdadeiro é uma demonstração da disputa pelo poder dizer, pelo controle do discurso – alertou.

 

NÃO TOMAR A VACINA ENQUANTO USA ANTIBIÓTICO
Lourenço afirma que o uso do medicamento não é uma contraindicação, mas “prioriza-se quem já se recuperou de alguma doença ou está no final do tratamento”.

 



Fonte: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *