FEBRE AFTOSA EM HUMANOS

A Febre Aftosa é uma enfermidade infectocontagiosa aguda com potencial de transmissibilidade extremamente alto entre os animais susceptíveis, podendo, em cerca de uma semana ou menos, acometer a totalidade dos componentes de um rebanho afetado.

Produzida por um vírus da família Picornavirus, gênero Aphtovirus, que acomete animais biungulados domésticos e selvagens, como bovinos, suínos, bubalinos, ovinos e caprinos. É caracterizada por vesículas, também denominadas aftas, erosões e úlceras na mucosa oral, epitélio lingual, nasal, mamário, além de lesões características na região coronária dos cascos e nos espaços interdigitais.

A Febre Aftosa é considerada uma zoonose porque embora raramente o homem se infecte com a doença, é ele um hospedeiro acidental da mesma. Fato comprovado perante o reduzido número de casos descritos pelo mundo, mesmo perante frequentes oportunidades de exposição ao agente, a ampla distribuição geográfica e à alta incidência da enfermidade nos animais domésticos.

Embora não haja grandes relatos de casos de contágio em humanos por Febre Aftosa, no mundo, sendo uma doença rara, esta doença afeta seres humanos, principalmente crianças com sistema imune não totalmente maduro ou com algum tipo de imunossupressão.

Os grupos considerados de risco para doença são crianças abaixo de 1 ano de vida, crianças que sofrem com anemia, verminoses, desnutrição, desidratação, leucemia e aquelas que fazem uso constante de medicamentos corticoides. Idosos e adultos portadores de HIV+ também são considerado um grupo de risco a doença.

A transmissão desta doença ao homem ocorre por contato direto com animais doentes ou com material biológico desses animais (baba, sangue, mordeduras, fezes, sêmen, etc) e/ou manuseio, ingestão de leite não tratado e derivados.

A contaminação de humanos devido a ingestão de carne do animal infectado ainda não foi confirmada, porém também não foi descartada.

No mundo a poucos registros de Febre Aftosa em humanos pela ingestão de leite não tratado, manuseio de animais infectados em matadouros e outras formas de manejo do animal infectado sem proteção, porém esta infecção ocorre.


SINTOMAS EM HUMANOS

A infecção em humanos pode levar a quadros clinicamente sintomáticos e  assintomáticos, sendo que estes são geralmente não letais.

O período de incubação da doença varia de 2 a 8 dias, sendo a evolução e os sintomas similares ao homem, como os apresentados em animais.

Alguns sintomas da febre aftosa em humanos são:

  • Inflamação da boca;
  • Lesões, tipo afta, na boca;
  • Feridas na pele entre os dedos;
  • Febre alta;
  • Dores musculares;
  • Dor de cabeça;
  • Sede excessiva.

Os sintomas da febre aftosa tendem a diminuir ao fim de 3 ou 5 dias. Porém, nos casos mais graves, a infecção pode originar outros problema, ocorrendo infecções bacterianas segundarias e atingir a garganta e pulmões, provocando complicações severas e até mesmo a morte, se não tratada de forma emergencial.


DIAGNÓSTICO

Clinicamente a Febre Aftosa pode ser confundida com outras enfermidades vesiculares, por este motivo o diagnóstico só pode ser confirmado por meio de exames laboratoriais.

As provas sorológicas são feitas por isolamento e identificação de anticorpos no sangue.


TRATAMENTO

O tratamento da febre aftosa em humanos não é específico e baseia-se no consumo de remédios analgésicos, hidratação e uso de antinflamatórios, antibióticos e etc no caso de infecções graves, secundárias e comprometimentos dos pulmões e faringe.

A limpeza das feridas na pele e aftas da boca é muito importante para melhorar as lesões e acelerar a sua cicatrização, boa alimentação e repouso são importantes para o tratamento da doença.


REFERÊNCIAS:

– Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, Ano XI – Número 20 – Janeiro de 2013 – Periódicos Semestral [Febre Aftosa em Humanos: Revisão de Literatura]. Disponível em: http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/cQyqLX2hvW9LHur_2013-6-21-15-44-53.pdf

– Revista Eletrônica de Veterinária Redvet, Vol VI – Número 11 – Novembro de 2015 [Brasil e a Febre Aftosa – Detalhes do Descaso]. Disponível em: http://www.veterinaria.org/revistas/redvet/n111105/110521.pdf

– Tua Saúde [Febre Aftosa em Humanos]. Disponível em: https://www.tuasaude.com/febre-aftosa-em-humanos/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *