EJACULAÇÃO RETRÓGRADA: VOCÊ SABIA?

A ejaculação é a ação física na qual há a liberação de conteúdo seminal do corpo, mediante estímulo adequado, ou seja, é a liberação/ expulsão de esperma do corpo. Geralmente a ejaculação vem acompanhada de intensa sensação de prazer, o orgasmo. O processo se inicia com contrações involuntárias dos músculos do epidídimo, ductos deferentes, vesícula seminal e próstata, que liberam fluidos que são conduzidos para a parte posterior da uretra.

Fisiologicamente, a ejaculação pode ser dividida em duas fases, a emissão e expulsão do sêmen.

O normal em uma relação sexual, é que durante o ato, o esperma (sêmen) seja lançado pela uretra e daí para fora do corpo. Quando ocorre o inverso, isto é, em vez de sair pela uretra, o esperma toma a direção da bexiga, se chama de ejaculação retrógrada.

Na ejaculação retrógrada e anejaculação (ausência de ejaculação), ambos os processos fisiológicos são caracterizadas pela ausência de propulsão do sêmen através do trato reprodutivo masculino para fora do corpo. A falha de emissão é caracterizada por ausência do sêmen na fase de emissão, que pode ocorrer pela ausência da ou expulsão retrógrada para a bexiga do sêmen ou por não incapacidade de emissão do sêmen e orgasmo.

Em resumo a grande diferença entre os processos é que na anejaculação o homem não consegue atingir o clímax e chegar a um orgasmo, por mais que ele tenha a libido, o estímulo e a vontade do mesmo. Já no caso da ejaculação retrógrada o processo de expulsão do sêmen ocorre de forma contrária, indo em direção a bexiga, ao invés de para fora do pênis.

As principais consequências da ejaculação retrógrada são os efeitos psicológicos e a infertilidade.

Quando o mecanismo  fisiológico da ejaculação normal falha em razão de doença, de cirurgia ou do uso de medicamentos, o esfíncter entre a uretra e a bexiga (esfíncter interno) pode não se fechar corretamente e o sêmen pode  fluir retrogradamente para a bexiga. Isso causa ejaculação retardada ou mesmo ausência de ejaculação.

Homens com ejaculação retrógrada ainda podem ter orgasmos. No entanto, a ejaculação retrógrada diminui a quantidade de sêmen ejaculada para fora do pênis. Às vezes, não há ejaculação visível. O quadro clínico pode causar infertilidade, mas não é prejudicial.


QUAIS AS CAUSAS?

As causas mais comuns de ejaculação retrógrada são neurológicas, traumáticas ou medicamentosas. Entre as causas neurológicas contam-se principalmente a esclerose múltipla e os traumatismos de coluna. A neuropatia periféricasecundária ao diabetes também pode causar ejaculação retrógrada.

Entre as causas traumáticas temos as cirurgias abdominais ou pélvicas, que podem interferir na inervação da bexiga, mas outros procedimentos cirúrgicos, como a ressecção endoscópica da próstata, também podem interferir no colovesical originando a ejaculação retrógrada.

Como causas medicamentosas, aparecem algumas drogas utilizadas para tratamento de doenças cardíacas ou para aumento da pressão arterial, que podem levar à dessincronização do esfíncter interno e à ejaculação retrógrada.


O PORTADOR DA CONDIÇÃO SENTE ALGO?

Normalmente não há sintomas para o homem, estes que não costumam sentir dores ou desconfortos.

O sinal mais nítido do problema e a diminuição acentuada do liquido ejaculatório ou mesmo a total falta de sêmen expulso pelo pênis após o orgasmo.

 


COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

Um médico faz o diagnóstico de ejaculação retrógrada ao encontrar uma grande quantidade de esperma na amostra de urina tomada logo após a ejaculação.

Para isso o homem é encaminhado a uma sala onde fará a coleta do sêmen e da urina após o orgasmo.

 


E O TRATAMENTO?

Os homens geralmente não necessitam de tratamento, a menos que a infertilidade seja uma preocupação ou haja problemas psicológicos devido a condição.

Cerca de um terço dos homens com ejaculação retrógrada melhora após o tratamento com medicamentos que fecham o colo da bexiga (tais como a pseudoefedrina, fenilefrina, clorfeniramina, bronfeniramina ou imipramina). No entanto, a maioria desses medicamentos pode aumentar a frequência cardíaca e pressão arterial, o que pode ser perigoso em homens com hipertensão arterial ou doença cardíaca.

O médico irá avaliar o custo benefício do tratamento e indicar o que for mais adequado a cada caso.

E importante que se descubra a causa do problema, para uma melhor abordagem sobre o caso. Em caso de lesões do esfíncter da bexiga, danos neurológicos e lesões na coluna, eletroestimulação podem ser utilizadas, além de outras abordagens.

Se a infertilidade precisar de tratamento e os medicamentos não ajudarem, os médicos podem às vezes coletar o esperma do homem, mesmo na urina para inseminação.

 


REFERÊNCIAS:

– Manual MSD [Ejaculação Retrógrada]. Disponível em: http://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-masculina/disfun%C3%A7%C3%A3o-sexual-em-homens/ejacula%C3%A7%C3%A3o-retr%C3%B3grada

– ABC da Saúde [Ejaculação Retrógrada]. Disponível em: https://www.abcdasaude.com.br/urologia/ejaculacao-retrograda

– ABC Med [O que é Ejacuação Retrógrada?]. Disponível em: http://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/1294648/o+que+e+ejaculacao+retrograda.htm

– Dr. Francisco Fonseca Uro-Oncologista [O que é a Ejaculação Retrógrada?]. Disponível em: http://drfranciscofonseca.com.br/ejaculacao-retrograda/

– Bayer para homens [Disfunção Sexual: Ejaculação Retrógrada]. Disponível em: https://www.bayerparahomens.com.br/saude-do-homem/disfuncao-eretil/disfuncao-sexual/ejaculacao-retrograda/ejaculacao-retrograda.aspx

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *