DEPRESSÃO: COMO ELA AFETA A FAMÍLIA?

Quando usamos o termo depressão, estamos falando de uma condição médica comum, com sintomas muito específicos. Esses sintomas têm uma intensidade e duração significantes e podem afetar as funções e o bem-estar de uma pessoa, de várias formas.

Esse tipo de depressão requer tratamento, uma vez que pode prejudicar seriamente a capacidade de uma pessoa desempenhar as atividades inerentes a uma vida normal, no trabalho, e em seus relacionamentos.

A depressão pode afetar de inúmeras formas o nível de humor, a perspectiva de vida, o comportamento e as funções físicas de uma pessoa. Sentimento de ansiedade ou uma sensação de medo de que algo de terrível está para acontecer, com frequência acompanha os sintomas da depressão.

O pensamento depressivo geralmente está muitas vezes associado a uma baixa autoestima e pode tomar a forma de ideias negativas sobre si mesmo e o seu futuro.

Em depressão severa, sentimentos de inutilidade e desesperança podem debilitar a pessoa deprimida, a qual pode começar achar que não vale a pena viver. Em um caso como este, o suicídio pode ser um perigo real. (Sempre leve a conversa de suicídio a sério, pois pode ser a forma de uma pessoa deprimida pedir socorro antes de levar adiante uma tentativa de suicídio).

A depressão é um transtorno muito comum em nossa sociedade, afetando cerca de 5% da população em um dado momento. Pesquisadores estimam que aproximadamente 10% dos americanos sofrerão um episódio depressivo maior em algum período de suas vidas. Alguns calculam que essa incidência seja da ordem de 25%, especialmente na população feminina. As pessoas que já tiveram uma crise depressiva têm maior tendência a desenvolver um outro episódio do que aquelas que não passaram por essa experiência.


O QUE A FAMÍLIA PODE FAZER PARA AJUDAR?

Sem dúvida, compreensão é a chave. Quanto mais uma família conhecer sobre depressão, mais bem preparados todos estarão para oferecer apoio na hora em que o familiar deprimido mais necessitar. Aprender mais detidamente sobre tratamentos eficazes da depressão também ajudará a incentivar a pessoa deprimida a aderir ao plano de tratamento prescrito.

Algumas famílias se beneficiam da participação em terapia ou aconselhamento familiar para entenderem melhor os complexos aspectos envolvidos na depressão.

O aconselhamento pode ajudar toda a família a aprender sobre estratégias de comunicação mais eficazes e melhores formas de combater a depressão em casa. Associar-se a um grupo de apoio para pessoas com depressão e suas famílias é uma outra opção.


FORMAS DE APOIAR UM MEMBRO DEPRIMIDO DA FAMÍLIA

•Tente manter um relacionamento o mais normal possível
• Reconheça que a pessoa está sofrendo
• Não espere simplesmente que a pessoa “melhore repentinamente”
• Envide esforços para que a pessoa decida se tratar e melhorar
• Demonstre afeição, ofereça palavras reconfortantes e faça elogios
• Mostre que você respeita e valoriza a pessoa
• Ajude a pessoa a manter-se ocupada, um membro ativo da família
• Não critique, atormente ou censure a pessoa por seu comportamento deprimido
• Não diga ou faça qualquer coisa que, em sua opinião, poderia piorar a imagem pouco satisfatória que a pessoa já tem de si mesma.
• Leve a sério qualquer conversa sobre suicídio e notifique o fato imediatamente ao médico ou ao profissional responsável.

 


E SE A PESSOA DEPRIMIDA NÃO QUISER SER AJUDADA?

Geralmente, pedir ajuda é difícil, especialmente em se tratando de pessoas deprimidas que podem sentir-se culpadas e pensar que “já causaram problema o bastante”. Por outro lado, as pessoas deprimidas às vezes se veem tomadas por uma sensação de desesperança que as fazem parar de procurar ajuda, pensando “porque incomodar, nada fará nenhuma diferença”. Uma vez mais, compreensão e educação são os fundamentos de uma abordagem positiva.

Oferecer aos familiares de um deprimido acesso para obterem informações sobre depressão e seus tratamentos é importante para o bem estar de todos os membros. Eles podem não ter ideia de que a depressão responde bem ao tratamento e que logo a pessoa deprimida poderia sentir-se muito melhor.

Tranquilize as pessoas de quem você gosta dizendo que ter depressão não é um sinal de “fraqueza”. Saliente que a depressão é uma doença que requer tratamento, como a pneumonia ou a artrite, e que procurar um tratamento para uma doença não é motivo para se envergonhar.

Se você acha que um parente deprimido está pensando em suicídio, não hesite em contatar seu médico, um centro de saúde mental local ou um centro de prevenção de crise de suicídio.

Conversas sobre suicídio sempre devem ser levadas em conta.

 


COMO ISSO TUDO AFETA TODOS OS MEMBROS DA FAMÍLIA?

Os transtornos depressivos podem causar imenso sofrimento, não somente à pessoa que está deprimida, mas também àquelas que estão mais próximas dela. Se não for tratada, a depressão pode provocar um grande abalo na vida familiar.

É importante não deixar de dar apoio e suporte a todas as pessoas que vivem com alguém deprimido. Por mais que não possa parecer num primeiro momento, eles também podem ficar doentes com esse problema.

Para tratar o paciente deprimido e dar suporte aos familiares da pessoa deprimida, lembre-se, o primeiro passo é entender a doença.

Toda família que possui um membro em quadro de depressão, deve ter acesso à informação, fazer terapia psicológica família e aprender a se entender.

Familiares que de pessoas deprimidas, principalmente aquelas em grau severo e com tendências suicidas também podem ficar deprimidos, terem transtornos psicológicos de ansiedade, baixa autoestima, alterações do sono, estresse entre outros problemas que afetam a saúde mental e física dos membros.

Por isso a principal sugestão de ajuda aos familiares é a terapia e o entendimento de que todos estão sofrendo e que todos precisam sair desse quadro juntos.

 



FONTE:

Pfizer: A depressão afeta toda a família

https://www.pfizer.com.br/sua-saude/depressao/depress%C3%A3o-afeta-toda-fam%C3%ADlia

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *