ITRACONAZOL

Fármaco derivado do imidazol (derivado tiazólico) usado como antifúngico de amplo espectro de ação, onde atua principalmente inibindo o crescimento de fungos sensíveis.

Estudos in vitro demonstraram que o itraconazol inibe a síntese do ergosterol em células fúngicas. O ergosterol é um componente vital da membrana celular dos fungos. A inibição da sua síntese tem como última consequência um efeito antifúngico.

O itraconazol é indicado para as seguintes patologias:

– Indicações ginecológicas:

  • Tratamento de candidíase vulvovaginal.

– Indicações dermatológicas/mucosas/oftalmológicas:

  • Tratamento de dermatomicoses, incluindo regiões altamente queratinizadas, como na tinea da palma das mãos e da planta dos pés;
  • Tratamento de pitiríase versicolor;
  • Tratamento de candidíase oral;
  • Tratamento de ceratite fúngica.

Continue lendo

METILDOPA: CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

A metildopa é um fármaco anti-hipertensivo utilizado também para o controle da hipertensão gestacional e a pré-eclâmpsia. Apresenta formas farmacêuticas de comprimido e xarope, está ultima incomum no Brasil.

Por ser um fármaco anti-hipertensivo é destinado ao tratamento de hipertensão (leve, moderada ou grave).

A metildopa é um inibidor da descarboxilase de aminoácidos aromáticos em animais e seres humanos. O efeito anti-hipertensivo da metildopa deve-se provavelmente à sua transformação em alfametilnoradrenalina, que reduz a pressão arterial por estimulação dos receptores inibitórios alfa-adrenérgicos centrais, falsa neurotransmissão e/ou redução da atividade da renina plasmática. A metildopa demonstrou reduzir a concentração tecidual de serotonina, dopamina, noradrenalina e adrenalina. Continue lendo

HIOSCINA (ESCOPOLAMINA) – FARMACOLOGIA BÁSICA

Cada comprimido de Hioscina contém em geral butilbrometo de escopolamina.  A Escopolamina é um fármaco antagonista dos receptores muscarínicos, também conhecido como substância anticolinérgica.

Atua impedindo a passagem de determinados impulsos nervosos para o sistema nervoso central pela inibição da ação da acetilcolina. É utilizada como antiespasmódico, principalmente em casos de úlcera do estômago, úlcera duodenal e cólica.

A Hioscina tem indicação oficial para o tratamento sintomático de cólicas dos tratos gastrintestinal e geniturinário, assim como cólicas e discinesias das vias biliares.


CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS:

A Hioscina exerce atividade espasmolítica sobre a musculatura lisa do trato gastrintestinal, geniturinário e vias biliares. O butilbrometo de escopolamina, como um derivado de amônio quaternário, não atravessa a barreira hematoencefálica e, deste modo, não produz efeitos colaterais anticolinérgicos sobre o Sistema Nervoso Central. Continue lendo

CODEÍNA: FARMACOLOGIA BÁSICA

A codeína é um analgésico derivado do ópio usado para o alívio da dor moderada. A codeína um alcaloide derivado da morfina. De menor potência doze vezes que a morfina, utiliza-se também em combinação com outros analgésicos da classe dos não opioides, como ácido acetilsalicílico e paracetamol.

Observação: 200 mg de codeína por via oral ou 130 mg de codeína por via intramuscular equivalem a 10 mg de morfina intravenosa.

A Codeína tem ação analgésica, reduzindo a percepção da dor. É obstipante porque as suas ações no sistema nervoso entérico reduzem a motilidade intestinal. Suprime a tosse (este efeito pode ser perigoso se os agentes irritantes forem perigosos, como bactérias ou produtos corrosivos).

Continue lendo

HEMIFUMARATO DE QUETIAPINA

Em adultos, hemifumarato de quetiapina é indicado para o tratamento da esquizofrenia, como monoterapia ou adjuvante no tratamento dos episódios de mania associados ao transtorno afetivo bipolar, dos episódios de depressão associados ao transtorno afetivo bipolar, no tratamento de manutenção do transtorno afetivo bipolar I (episódios maníaco, misto ou depressivo) em combinação com os estabilizadores de humor lítio ou valproato, e como monoterapia no tratamento de manutenção no transtorno afetivo bipolar (episódios de mania, mistos e depressivos).

Em adolescentes (13 a 17 anos), hemifumarato de quetiapina é indicado para o tratamento da esquizofrenia.

Em crianças e adolescentes (10 a 17 anos), hemifumarato de quetiapina é indicado como monoterapia ou adjuvante no tratamento dos episódios de mania associados ao transtorno afetivo bipolar. Continue lendo

MESILATO DE DOXAZOSINA

Fármaco pertencente ao grupo dos alfa-bloqueadores, o mesilato de doxazosina é um medicamento usado para o tratamento da hipertensão arterial e para hiperplasia prostática benigna (HPB).

Disponível em comprimidos de 1, 2 ou 4 mg, geralmente tomado uma vez ao dia. É absorvida 15% melhor sem alimento.

Este medicamento é usado no tratamento de sintomas clínicos da hiperplasia prostática benigna, assim como para o tratamento da redução do fluxo urinário associada à HPB. O mesilato de doxazosina pode ser administrado em pacientes com HPB que sejam hipertensos ou normotensos. Enquanto não são observadas alterações clinicamente significativas na pressão sanguínea de pacientes normotensos com HPB, pacientes com HPB e hipertensão apresentam ambas as condições tratadas efetivamente com monoterapia com mesilato de doxazosina.

No caso da hipertensão, pode ser utilizado como agente inicial para o controle da pressão sanguínea na maioria dos pacientes. Continue lendo

CLOTRIMAZOL

Clotrimazol é um fármaco antifúngico de espectro amplo contra micoses superficiais de pele e vagina e ânus, que podem causar problemas nessas regiões.

Quando usado como creme vaginal este produto pode reduzir a segurança e eficácia de produtos à base de látex, como preservativos e diafragmas. Esse efeito ocorre somente durante o tratamento, portanto é temporário. Em geral, o tratamento não deve ser feito durante o período menstrual.

Clotrimazol pode ser encontrado em formulações como princípio ativo único do medicamento, ou em combinação com outros medicamentos, como por exemplo: Dexametasona. Continue lendo