O QUE É ESPOROTRICOSE?

A esporotricose é uma micose causada pelo fungo da espécie Sporothrix spp, que causa doenças especialmente em indivíduos que residem em países de clima tropical e subtropical.

O fungo Sporotrhix spp habita a natureza e está presente no solo, palha, vegetais, espinhos, madeira.  A esporotricose, em sua forma clássica, foi por muito tempo conhecida como “a doença do jardineiro”. Isso porque era comum acometer esses profissionais, assim como também agricultores ou outras profissões e indivíduos que tivessem contato durante atividades de lazer com plantas e solo em ambientes naturais onde o fungo estivesse presente.

A doença acomete várias espécies de animais silvestres e domésticos, principalmente o gato e o cachorro, além de atingir seres humanos.

Enquanto os cachorros adquirem uma forma de baixa virulência, semelhante a dos humanos, os gatos geralmente adquirem uma forma grave e disseminada da doença. Continue lendo

HISTOPLASMOSE

A histoplasmose é uma micose causada por fungo dimórfico, o Histoplasma capsulatum. É considerada classicamente uma micose endêmica. O homem adquire a infecção através da inalação de esporos de histoplasma presentes na natureza (cavernas com morcegos, galinheiros, etc).

A doença foi pela primeira vez descrita por Samuel Darling, no Panamá, que entre 1905 e 1906 necropsiou três casos disseminados da doença, dois dos quais provenientes da Ilha de Martinica, onde hoje esta micose é reconhecidamente endêmica.

O Histoplasma cresce melhor no solo e na poeira contaminados com fezes de pássaros ou morcegos. Os avicultores, trabalhadores de construção, exploradores de cavernas (pessoas que gostam de explorar cavernas) e outros que trabalham com solo têm mais probabilidade de inalar os esporos produzidos pelo Histoplasma.

A maioria das pessoas com Histoplasma não desenvolve nenhum sintoma. Pode ocorrer doença grave quando grandes números de esporos são inalados. Continue lendo

O QUE É PEP? – PROFILAXIA PÓS-EXPOSIÇÃO

A Profilaxia Pós-Exposição (PEP) de risco à infecção pelo HIV, hepatites virais e outras IST consiste no uso de medicamentos para reduzir o risco de adquirir essas infecções.

O esquema antirretroviral (ARV) da PEP para HIV foi simplificado na atualização do PCDT, em 2015, com recomendações de profilaxia pela avaliação do risco da situação de exposição e não mais por categoria de exposição (acidente com material biológico, violência sexual e exposição sexual consentida).

A PEP para HIV está disponível no SUS desde 1999; atualmente, é uma tecnologia inserida no conjunto de estratégias da Prevenção Combinada, cujo principal objetivo é ampliar as formas de intervenção para evitar novas infecções pelo HIV. Continue lendo

VACINAS PARA OS ADULTOS

Falar sobre vacinas já remete a vacinação das crianças, pela qual se busca obter imunidade contra agentes de doenças que o organismo não estaria preparado para combater.

No entanto, não é só na infância que as vacinas se fazem necessárias. Jovens, adultos e especialmente pessoas mais velhas precisam estar em dia com o programa de vacinação.

Nem todas as vacinas que você tomou na infância vão conseguir protegê-lo durante toda a vida. De tempos em tempos é preciso um reforço para manter a própria proteção e a de quem estiver próximo. Além disso, novas vacinas “blindam” contra doenças até então sem imunização específica.

Veja abaixo quais são as principais vacinas que constam no programa de vacinação brasileiro da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). Continue lendo

O QUE É O CITOMEGALOVÍRUS?

Os citomegalovírus (CMV) são herpevírus com alta especificidade com relação ao hospedeiro. É um vírus que pode causas infecção no homem, no macaco e nos roedores. O citomegalovírus pertence à mesma família dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e herpes zóster.

O citomegalovírus é um vírus comum que pode infectar qualquer pessoa e que permanece latente no corpo por toda a vida, só causando sintomas em situações em que o sistema imunológico encontra-se debilitado. Nesse sentido, comporta-se como o vírus da herpes.

A infecção por citomegalovírus pode levar à aparição de células gigantes que apresentam inclusões intranucleares, chegando ao desenvolvimento de tumores benignos e malignos. Continue lendo

ESTIRAMENTO MUSCULAR

O estiramento muscular é uma lesão indireta que se caracteriza pelo alongamento excessivo das fibras musculares, ou alongamento além dos limites normais, também chamados de fisiológicos.

Esta lesão é uma das mais frequentes nos esportes em geral, e acarreta modificações significativas nos hábitos de treinamento e competição dos praticantes.

Apesar de ser uma lesão muito comum em praticantes de esportes, durante a atividade física, esta lesão pode acometer qualquer pessoa, durante o dia a dia. Continue lendo

SARNA EM HUMANOS – ESCABIOSE

A sarna é uma infestação de ácaros na pele que provoca pequenas pústulas vermelhas e coceira intensa.

A sarna é provocada pelo ácaro Sarcoptes scabiei. As infestações ocorrem no mundo inteiro. A fêmea do ácaro cava túneis na camada superficial da pele e deposita os ovos em covas. Os ácaros jovens (larvas) chocam em poucos dias. A infestação provoca uma coceira intensa, possivelmente devido a uma reação alérgica aos ácaros.

Os ácaros são seres microscópicos de oito patas, da classe dos aracnídeos. O Sarcoptes scabiei tem um tamanho médio de 0,3 milímetros, que é basicamente o limite do que o olho humano nu consegue ver. Continue lendo