SITES E APLICATIVOS DE COMPARAÇÃO DE PREÇOS DE PRODUTOS MAGISTRAIS NÃO SÃO PERMITIDOS PELA LEGISLAÇÃO

Recentemente tem-se verificado a existência de sites e aplicativos que realizam a busca e a comparação de preços de produtos manipulados, dispositivos esses desenvolvidos e disponibilizados ao mercado por empresas de tecnologia.

Esses dispositivos possibilitam (i) o encaminhamento automático de receitas de produtos magistrais a estabelecimentos farmacêuticos previamente cadastrados pelo desenvolvedor, bem como (ii) a entrega do produto no domicílio do paciente.

É importante mencionar que esse procedimento configura prática não permitida pela legislação vigente (Lei nº 11.951/2009), uma vez que pode ser caracterizado como captação de receitas e intermediação entre diferentes empresas. Esse entendimento vai ao encontro do descrito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por meio da Resolução RDC nº 67/2007. Continue lendo

HOMEOPATÍA E A FEBRE AMARELA: ESCLARECIMENTOS

A vacina contra a febre amarela é preparada a partir do vírus vivo atenuado e produzida no Brasil. Sua imunidade ocorre dez dias após a aplicação, conferindo imunidade, segundo a OMS, por toda a vida.

O emprego da homeopatia no caso da febre amarela consiste na indicação de medicamentos homeopáticos que auxiliam na profilaxia e tratamento dos sintomas. A vacinação estabelecida conforme as diretrizes do Programa Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde, é a medida mais importante para a prevenção e o controle da doença.

Desde a criação da homeopatia pelo médico alemão Dr. Samuel Hahnemann, essa terapêutica vem atuando em epidemias, e há relatos históricos documentados que demonstram resultados e benefícios bastante significativos.

Continue lendo

NOVO MEDICAMENTO PARA CÂNCER DE MAMA

A Agência de Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a comercialização do medicamento Ibrance (palbociclibe), um tratamento inovador no combate ao câncer de mama avançado em mulheres do tipo estrogênio receptor positivo (ER+) e HER2-. Ou seja, tumores que crescem em resposta ao hormônio estrogênio e não estão relacionados à proteína HER2. Considerado um câncer muito comum entre o público feminino, há mais de dez anos não se ouvia falar em tratamentos inovadores para tratar esse tipo de tumor. Continue lendo

ANVISA APROVA VACINA MAIS EFICAZ CONTRA O HPV

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou essa semana uma vacina mais eficaz contra o papilomavírus humano (HPV). O imunizante, chamado de Gardasil 9, inclui os subtipos 31, 33, 45, 52 e 58 do HPV, além dos subtipos 6, 11, 16, 18 que existiam na versão anterior do produto.

Isso significa que ela aumenta a proteção contra o vírus ao aumentar de quatro para nove subtipos do vírus HPV, associados ao desenvolvimento câncer de útero, vulva, vagina e ânus. Continue lendo

LENALIDOMIDA É INCLUÍDA NA LISTA DE CONTROLE ESPECIAL

A lenalidomida é uma substância nova para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo refratário ou que reapareceu (MMRR) que receberam ao menos um esquema prévio de tratamento.

Será indicada também para o tratamento de pacientes com anemia dependente de transfusões recorrentes decorrente de síndrome mielodisplásica (SMD) de risco baixo ou intermediário-1, associada à anormalidade citogenética de deleção 5q, com ou sem anormalidades citogenéticas adicionais.


Continue lendo

ANVISA APROVA VACINAÇÃO EM FARMÁCIAS

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou uma nova resolução que permite que qualquer estabelecimento de saúde faça vacinação, incluindo farmácias e drogarias.

A regulamentação da medida deverá ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) nos próximos dias. A decisão foi tomada pela Diretoria Colegiada da instituição.

Com a nova resolução, qualquer farmácia vai poder fazer vacinação. No entanto é preciso levar receita médica para as vacinas que são opcionais. Para as outras, do calendário básico, não é exigida receita. Mas é preciso pagar pelo produto. Continue lendo

INSULINA NPH, DA INDAR, É SUSPENSA NO BRASIL

Foi publicada, no Diário Oficial dessa semana, a Resolução 3.156/17, que suspende a importação, distribuição e uso de todos os lotes de insulina NPH fabricada por Private Joint Stock Company Indar, localizada em Kiev, Ucrânia.

A determinação decorre de descumprimento de normas de qualidade da Anvisa.

Caso você faça uso deste produto, procure o profissional prescritor. Continue lendo