ALCOOLISMO

O alcoolismo é a incapacidade de controlar a ingestão de álcool devido a dependência física e emocional. Pode ser também definido como um termo amplo para descrever qualquer consumo de álcool que cause problemas de saúde físicos ou mentais.

O alcoolismo é caracterizado pela vontade incontrolável de beber, falta de controle ao tentar parar a ingestão, tolerância ao álcool (doses cada vez maiores para sentir os efeitos da bebida) e dependência física, que se manifesta com sintomas físicos e psíquicos nas situações de abstinência alcoólica.

O diagnóstico de alcoolismo não tem relação com o tipo e quantidade da substância ingerida pela pessoa, mas sim à capacidade em controlar o consumo de bebida.

No Brasil, 10% da população sofre com o alcoolismo. Os homens correspondem a 70% dos casos, enquanto as mulheres correspondem a 30%.


SINTOMAS DO PROBLEMA

Os sinais e sintomas classicamente associados à dependência de substâncias são falta de controle sobre o uso, tolerância cada vez maior e manifestações de síndrome de abstinência.

Neste último caso, a pessoa manifesta alguns sintomas quando interrompe o consumo de álcool: tremores nos lábios e extremidades (mãos, pés), náuseas, vômitos, suor excessivo, ansiedade, irritação, podendo evoluir para convulsões e estados de confusão mental, com falta de orientação no tempo e no espaço e alucinações.

 


CONSEQUÊNCIAS

Quando utilizado por tempo prolongado, o álcool tem ação tóxica sobre diversos órgãos. O uso constante provoca danos ao sistema nervoso, podendo causar demência, bem como diminuição da sensibilidade e da força muscular nas pernas.

Outras possíveis consequências são:

Perdas de memória, problemas hepáticos como cirrose, desnutrição, complicações pancreáticas, gastrointestinais, hemorragias, impotência sexual e depressão, esta ultima que pode ser uma consequência ou uma das causas do problema de alcoolismo.

A longo prazo o alcoolismo pode causas problemas como rupturas sociais, isolamento, perca de capacidade econômicas e percas afetivas.

O álcool também tem relação com o desenvolvimento de câncer no trato intestinal, na bexiga, próstata e outros órgãos.


TRATAMENTO

O primeiro passo é o doente reconhecer que é alcoolista e querer mudar a situação. Depois, a família e/ou o dependente devem procurar um psicólogo ou psiquiatra, que avaliará as possibilidades de tratamento.

O tratamento pode envolver a desintoxicação, que é a retirada da bebida com acompanhamento profissional, a ingestão de medicamentos que auxiliam no controle do desejo de beber e aconselhamento individual ou em grupo.

O envolvimento da família é fundamental nessa etapa, pois o alcoolismo é uma doença que envolve não só o dependente, mas também todos de seu convívio.



FONTE:

– Hospital Albert Einstein [Alcoolismo]. Disponível em: https://www.einstein.br/doencas-sintomas/alcoolismo

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *