ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL – AVC

Um acidente vascular cerebral ocorre quando uma artéria no cérebro fica bloqueada ou se rompe, resultando na morte de uma área do tecido cerebral devido à perda da circulação sanguínea (infarto cerebral) e causando sintomas repentinos.

Um acidente vascular cerebral é considerado uma doença cerebrovascular por afetar o cérebro (cerebral) e os vasos sanguíneos (vascular).

VISÃO GERAL SOBRE O AVC

  • A maioria dos acidentes vasculares cerebrais é isquêmica (geralmente devido ao bloqueio de uma artéria), mas alguns acidentes são hemorrágicos (devido à ruptura de uma artéria).

  • O acidente isquêmico transitório assemelha-se ao acidente vascular cerebral isquêmico exceto pelo fato de nenhuma lesão cerebral permanente ocorrer e os sintomas normalmente resolverem-se em uma hora.
  • Os sintomas ocorrem subitamente e podem incluir fraqueza muscular, paralisia, sensibilidade anormal ou perda de sensibilidade em um lado do corpo, dificuldade para falar, confusão, problemas com a visão, tonturas, perda de equilíbrio e coordenação, e em um tipo, uma cefaleia súbita e grave.
  • O diagnóstico é baseado principalmente nos sintomas, mas exames de imagem e de sangue também são feitos.
  • A recuperação após um acidente vascular cerebral depende de muitos fatores, tais como localização e quantidade dos danos, idade do indivíduo e presença de outras doenças.

Nos países ocidentais, o acidente vascular cerebral é a quarta causa mais comum de morte e a causa mais comum de lesão neurológica incapacitante em adultos. Nos Estados Unidos, mais de 795 mil pessoas têm um acidente vascular cerebral e cerca de 130 mil morrem a cada ano em razão de acidente vascular cerebral. Acidentes vasculares cerebrais são muito mais comuns entre idosos do que entre adultos jovens, porque, em geral, os problemas que levam a acidentes vasculares cerebrais progridem com a idade. Mais de dois terços de todos os acidentes vasculares cerebrais ocorrem em pessoas com mais de 65 anos. Pouco mais de 50% de todos os acidentes vasculares cerebrais ocorrem em homens, no entanto, mais de 60% das mortes por acidente vascular cerebral ocorrem em mulheres, possivelmente porque, em média, as mulheres apresentam mais idade na ocasião em que ocorre o acidente vascular cerebral.

Os negros são mais propensos do que os brancos a terem um acidente vascular cerebral e a morrer em consequência disso.


TIPOS DE AVC

Há dois tipos principais de acidentes vasculares cerebrais:

  • Isquêmico
  • Hemorrágico

Cerca de 80% dos acidentes vasculares cerebrais são isquêmicos, geralmente devido a uma artéria bloqueada, muitas vezes bloqueada por um coágulo de sangue. As células cerebrais, assim, privadas de fornecimento de sangue, não recebem oxigênio e glicose (carboidrato) suficiente, que são transportados pelo sangue. O dano resultante depende de quanto tempo as células cerebrais foram privadas de sangue. Se elas são privadas apenas por um breve período de tempo, as células cerebrais ficam estressadas, mas podem se recuperar. Se as células cerebrais são privadas por mais tempo, as células cerebrais morrem, e algumas funções podem ser perdidas, algumas vezes permanentemente.

O tempo que as células cerebrais levam para morrer após serem privadas de sangue varia. Elas morrem depois de apenas alguns minutos em algumas áreas do cérebro mas não até mais de 30 minutos ou mais em outras áreas.

Ataques isquêmicos transitórios (AITs – Acidentes isquêmicos transitórios), às vezes chamados miniacidentes vasculares cerebrais, são muitas vezes um sinal de alerta de um acidente vascular cerebral isquêmico iminente. Eles são causados ​​por uma breve interrupção do fornecimento de sangue a uma parte do cérebro. Visto que o fornecimento de sangue se restabelece rapidamente, o tecido cerebral não morre, como acontece, em contrapartida, num acidente vascular cerebral, e a função cerebral é rapidamente restabelecida.

Os outros 20% dos acidentes vasculares cerebrais são hemorrágicos – devido ao sangramento dentro do cérebro ou ao redor dele. Neste tipo de acidente vascular cerebral, um vaso sanguíneo se rompe, o que interfere no fluxo de sangue normal e permite que o sangue vaze para o tecido cerebral ou ao redor do cérebro. O sangue que entra em contato direto com o tecido cerebral irrita o tecido e, com o tempo, pode causar a formação de tecido cicatricial, algumas vezes levando a convulsões.


SINTOMAS DE ALERTA DE ACIDENTES VASCULARES CEREBRAIS

Visto que o tratamento oportuno pode ajudar no caso de uma perda da capacidade funcional e da sensibilidade, todas as pessoas deveriam conhecer os primeiros sintomas de um acidente vascular cerebral. As pessoas que apresentam algum dos seguintes sintomas devem procurar o médico imediatamente, mesmo quando o sintoma desaparece rapidamente:

  • Súbita fraqueza ou paralisia de um lado do corpo (por exemplo, metade do rosto, um braço ou uma perna, ou um lado inteiro)
  • Súbita perda de sensibilidade ou sensibilidade anormal em um lado do corpo
  • Dificuldade súbita em falar, incluindo dificuldade em achar as palavras e algumas vezes linguagem incompreensível.
  • Confusão súbita, acompanhada de dificuldade em compreender a linguagem e em falar.
  • Obscurecimento súbito, visão turva ou perda da visão, em particular em um olho.
  • Tontura súbita ou perda de equilíbrio e coordenação, levando a quedas

Um ou mais desses sintomas estão tipicamente presentes nos acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos e isquêmicos. Os sintomas de um acidente isquêmico transitório são iguais, mas geralmente desaparecem em poucos minutos e, raramente, duram mais de uma hora.

Os sintomas de um acidente vascular cerebral hemorrágico podem também incluir o seguinte:

  • Forte cefaleia súbita
  • Náusea e vômito
  • Perda de consciência temporária ou persistente
  • Hipertensão arterial

OUTROS SINTOMAS

Outros sintomas que podem ocorrer precocemente incluem problemas de memória, raciocínio, atenção ou aprendizagem. A pessoa pode ficar incapaz de reconhecer as partes do corpo e não ter consciência das sequelas do acidente vascular cerebral. O campo visual periférico pode ficar reduzido e verificar-se uma perda parcial da audição. Dificuldade para engolir, tontura e vertigem podem se desenvolver.

As pessoas podem ter dificuldade em controlar seu intestino ou bexiga, com início diversos dias, ou até mais, após que o acidente vascular cerebral ocorreu. A perda de controle pode ser permanente.

Os sintomas tardios também podem incluir rigidez e espasmos dos músculos (espasticidade) involuntários e incapacidade de controlar as emoções. Muitas pessoas tornam-se deprimidas devido ao acidente vascular cerebral.


TRATAMENTO

Qualquer pessoa com sintomas de um acidente vascular cerebral deve procurar atendimento médico imediatamente.

Os médicos verificam os sinais vitais da pessoa, como frequência cardíaca, respiração, temperatura e pressão arterial, para se certificar de que estejam dentro do normal. Se eles não estiverem, as medidas para corrigi-los são tomadas imediatamente. Por exemplo, se a pessoa está em coma ou não responde (como pode resultar de herniação cerebral), ventilação mecânica (com um tubo de respiração inserido pela boca ou nariz) pode ser necessário para ajudar a respirar. Se os sintomas sugerirem que a pressão no interior do crânio é alta, poderão ser administrados medicamentos para reduzir o inchaço no cérebro e poderá ser colocado um monitor no cérebro para medir periodicamente a sua pressão.

Outros tratamentos utilizados durante as primeiras horas dependem do tipo de acidente vascular cerebral. Estes tratamentos incluem medicamentos (tais como medicamentos antiplaquetários, anticoagulantes, para quebrar os coágulos, e medicamentos para controlar a hipertensão) e cirurgia para remover o sangue acumulado.

Tratamentos persistentes e posteriores focam na prevenção de acidentes vasculares cerebrais, tratando e prevenindo problemas que os acidentes vasculares cerebrais podem causar, e ajudam as pessoas a recuperar o máximo possível da capacidade funcional (reabilitação).

 



REFERÊNCIA:

– MSD Manuals – Versão Saúde para a Família [Considerações Gerais sobre o Acidente Vacular Cerebral]. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-cerebrais,-da-medula-espinal-e-dos-nervos/acidente-vascular-cerebral-avc/considera%C3%A7%C3%B5es-gerais-sobre-o-acidente-vascular-cerebral

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *