A VACINA DA GRIPE 2018 PODE CAUSAR REAÇÕES?

A resposta para essa pergunta é SIM, porém não se preocupe com isso, pois nem todos terão reações adversas à vacina e o mais importante, as reações não costumam ser graves.

É importante antes de tudo, que as pessoas entendam que todas as substâncias usadas como remédio (comprimidos, cápsulas, vacinas, chás, géis, colírios, xaropes, etc) possuem ou podem causar alguma forma de reação, seja essa substância sintética, puramente química, de origem animal, vegetal ou mineral.

A gripe é uma doença benigna na imensa maioria dos casos, possuindo uma taxa de mortalidade abaixo de 1%. Porém, por ser altamente contagiosa, ela é capaz de infectar milhões de pessoas em relativamente pouco tempo, fazendo com que uma taxa próxima de 1% represente, em números absolutos, uma quantidade grande de vítimas. Por isso, a vacinação contra o vírus Influenza tornou-se uma importante medida de saúde pública nos últimos anos.

No Brasil, a vacina contra a gripe é feita com vírus morto.  Ela contém apenas algumas proteínas específicas do vírus Influenza, chamadas de antígenos, que são capazes de estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos.

Com isso temos que a vacina da gripe é incapaz de produzir a gripe no paciente que tomar a vacina.

Muitas pessoas divulgam informações erradas, culpando a vacina por estarem gripadas ou resfriadas, quando estas mesmas, antes de se vacinar, já possuíam o vírus em seu corpo.


QUAIS OS EFEITOS ADVERSOS DA VACINA?

As vacinas contra a gripe compostas por vírus mortos são geralmente bem toleradas, sendo o efeito colateral mais comum a dor, inchaço e a inflamação no local da injeção. Nos estudos clínicos, os eventos adversos graves foram extremamente raros.

Outros efeitos adversos que podem ocorrer, mas são incomuns e geralmente de curta duração, incluem: dor de cabeça, febre baixa, náuseas, tosse, irritação nos olhos e dor muscular.

Para reduzir o edema (inchaço) e a inflamação, compressas frias nas primeiras 24 a 48 horas são úteis. Após 48 horas, se ainda houver dor no local da vacina, as compressas quentes funcionam melhor. Se não houver contraindicações, o paciente pode tomar analgésicos comuns, como paracetamol ou dipirona.

Existem casos descritos de desmaios entre adolescentes, mas estes parecem estar mais ligados ao medo de agulha do que à vacina em si.

Pessoas que apresentam estado gripal após a vacinação, provavelmente já estavam infectadas com o vírus da gripe ou resfriado antes de se vacinarem.

É importante também que as pessoas entendam que a vacina da Gripe não protege contra o Resfriado e que apesar de terem os sintomas semelhantes às doenças são diferentes, possuindo gravidades diferentes.

 



Com informações de:

Dr. Pedro Pinheiro – MD Saúde

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *