POR QUE NÃO DEVEMOS CONSUMIR VITAMINA D SEM PRESCRIÇÃO?

Os comprimidos de vitaminas D2 e D3 estão disponíveis sem prescrição médica – no Brasil e em vários países – e têm sido associados à melhora da imunidade e de sintomas como cansaço, fraqueza muscular, dor no osso e até de depressão. Acredita-se que eles também ajudem a evitar câncer e sintomas do envelhecimento.

Uma pesquisa da consultoria de mercado Mintel indica que um terço dos adultos britânicos inclui a vitamina D em seu coquetel de suplementos diários – mas seu uso indiscriminado causa controvérsia na comunidade científica.

A maioria dos especialistas reconhece os benefícios da vitamina D para a saúde dos ossos, já que ela contribui na regulação do cálcio e do fosfato no corpo. Continue lendo

ARRITMIA CARDÍACA

O coração é um órgão muscular, composto por quatro câmaras projetadas para trabalhar de forma eficiente, confiável e constante por toda a vida. As paredes musculares de cada câmara cardíaca contraem-se em uma sequência regular, bombeando o sangue que o organismo necessita e consumindo a menor energia possível durante cada batimento.

As contrações das fibras musculares do coração são controladas por correntes elétricas que percorrem o coração de forma precisa, seguindo trajetórias e velocidades específicas. A corrente elétrica iniciada em cada batimento tem a sua origem no marca-passo natural do coração (nódulo sinusal ou sinoatrial), localizado no alto da câmara cardíaca superior direita (átrio direito).

A frequência cardíaca é determinada pela frequência com que o marca-passo fisiológico descarrega a corrente elétrica. Esta frequência é estimulada pelos impulsos nervosos e pelos níveis de hormônios específicos na corrente sanguínea. Continue lendo

CANCRO MOLE – O QUE É?

A doença, também conhecida como cancroide, cancro venéreo simples ou, popularmente falando, cavalo, era considerada como uma sequela da sífilis pelos médicos dos séculos XV e XVI, mas hoje sabe-se que as duas ISTs são diferentes uma da outra e requerem tratamentos diferentes.

O Cancro Mole é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Haemophilus ducreyi , bacilo do tipo gram-negativo intracelular, e é predominante em regiões mais tropicais, como algumas partes da África, Ásia, Caribe e América Central e América do Sul.

Em países desenvolvidos, o cancro mole é raro, mas é uma causa comum de lesões genitais em grande parte dos países em desenvolvimento. Como o cancro mole causa ulcerações genitais, as pessoas que têm a doença têm mais probabilidade de serem infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e disseminá-lo. Continue lendo

HTLV – VÍRUS LINFOTRÓPICO DA CÉLULA T HUMANA

O HTLV, Vírus Linfotrópico da Célula T Humana, é um vírus da família do HIV que pode desencadear paralisia nas pernas e leucemia em até 5% dos pacientes infectados. 

Possui 2 subtipos: HTLV-1 e HTLV-2.

A gravidade das doenças que pode causar, porém, é inversamente proporcional ao investimento em pesquisas para o tratamento do vírus. Descoberto em 1980, ainda pouco se sabe sobre ele. Tampouco há cura.

O vírus T-linfotrópico humano 1 (HTLV-1) é semelhante ao vírus da imunodeficiência humana (HIV), o vírus que causa a AIDS. O vírus HTLV-1 pode causar certos tipos de leucemia e linfoma (câncer dos glóbulos brancos). Continue lendo

DISFUNÇÃO ERÉTIL – QUANDO MEDICAMENTOS ORAIS FALHAM

Entende-se por Disfunção Erétil (DE), a dificuldade de manter a ereção peniana, em pelo menos 50% das tentativas, por tempo suficiente para permitir a penetração vaginal ou anal e a satisfação sexual.

Essa condição é popularmente conhecida como Impotência Sexual. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cerca de 50% dos homens brasileiros acima de 40 anos têm alguma queixa em relação às ereções.

As causas da DE variam e podem ser relacionadas a motivos psicológicos, orgânicos ou ambos os casos. Continue lendo

CIRURGIAS NA PRÓSTATA CAUSAM IMPOTÊNCIA SEXUAL?

A maioria das cirurgias da próstata não causa impotência. No caso de pacientes operados para tratamento de doenças benignas, a probabilidade de impotência é praticamente nula.

No caso de pacientes operados por câncer de próstata, o risco de impotência varia de 30 a 100%, dependendo do caso (estágio da doença, tamanho do tumor, estado da função sexual antes da operação, idade).

É importante salientar que nem todo tratamento para câncer de próstata causa alterações na vida sexual do homem.

A cirurgia que verdadeiramente traz um impacto maior nessa área é a prostatectomia radical. Cirurgias menores como a RTU conhecida como “raspagem”, raramente trazem alguma mudança na vida sexual. Continue lendo

SAÚDE MASCULINA

O mês de novembro é marcado como o mês do homem, para conscientizar a população masculina sobre a importância de exames preventivos no combate a problemas de saúde que atingem os homens, em especial o câncer de próstata. Esse é o objetivo do Novembro Azul.

De acordo com dados do IBGE, homens brasileiros vivem, em média, sete anos a menos que mulheres e apresentam maior incidência de certas doenças.

As doenças prevalentes em homens ou que só os afetam são: Continue lendo